Fics

Love is not a feeling... It's strength.
Domingo, 4 de Abril de 2010

5º Capítulo - Promessa

Hallo!

Boa Páscoa, muitos chocolates e tal! ;D

Not much to say...

Amanhã não tenho a certeza se posto, e se postar é só mesmo no final do dia okeey? :)

Vocês estão certas, a Alice é muito inocente, ou tímida...como quiserem;)

 

Beijinhos,

Marii K.

 

 

V

 

 

“- Não sabes o que dizes…fazes isso para te tornares na pessoa que não queres ser.

- Isso é uma justificação para quem, para ti?”

A personagem que Alice interpretava agarrou no rosto do homem e encostou a sua testa ao dele.

“- A cicatriz que tenho aqui não é feita ao acaso, pois não?”

A cena seguinte mostrava o início da violação de Alice, ou mais concretamente de Lilyan, a personagem que Alice interpretava. De alguma maneira, Tom sentiu-se incomodado ao observar aquela cena. Não só por ser uma violação, mas também porque era Alice ali, naquela pele que parecia mais submissa mas ao mesmo tempo mais solta, quando empurrava o homem para longe dela. Tinha observado, até agora, uma Alice tímida e com um olhar inseguro, e por alguma razão tinha a esperança de a ver noutra pele, nalgum dia.

Deixou o filme chegar ao fim e depois arrumou o DVD de novo na caixa. Atirou-o para dentro da mala e olhou para a página da revista com vincos das dobras em cima da mesa-de-cabeceira. Depois de despir a camisola e as calças, adormeceu sem se dar conta, sem pensar outra vez no comportamento tímido de Alice. Era apenas mais uma rapariga.

 

- 10 minutos! – Anunciaram na porta.

Bill, andava com os pés a arrastar. Bateu três vezes com as mãos nas pernas e atirou-se para cima do sofá, perto de Tom.

- O que é que tens?

- Eu?

- Sim, tu – retorquiu Bill. Deu um pontapé a Georg, sentado no outro sofá – Ele não está meio esquisito?

Georg assentiu com a cabeça e depois mergulhou a testa nas pernas, desesperadamente nervoso.

- Diz lá… - insistiu Bill, com o tom de voz mais baixo.

- Nada, estou só nervoso. – Olhou para a porta e levantou-se – Olha, anda, temos de ir…

Georg levantou-se mais rápido e começou a gritar por Gustav. Antes de saírem, Bill conseguiu agarrar no braço de Tom.

- É mesmo só isso?

- É Bill – Tom sorriu – está tudo bem. Vamos lá a isto!

Entregaram-lhe a guitarra e ele andou até perto do palco. Não antes de olhar em volta, sorrir de novo para Bill e bater nas costas de Georg e Gustav.

 

Enquanto o concerto decorria ele sentia-se sempre assim, como num filme, como se estivesse à parte do que acontecia. Não era bem o mesmo Tom que estava ali que andava de um lado para o outro do palco, que agitava os braços e cooperava com Bill e Georg quando estes se aproximavam. Era ele, mas…era outra parte de si. Acompanhava sempre com tanta concentração todos os seguimentos que pelo menos não pensava noutra coisa senão a música ali. Era ele que a fazia, e aqueles milhares de pessoas gritavam por isso, por eles e pela música. Não os julgavam pelos erros, não conheciam os seus defeitos. Conheciam-nos apenas pelas inúmeras qualidades e encantos, tanto verdadeiras como as que queriam criar num mundo paralelo, bem diferentes das suas personalidades.

O concerto parou. Entraram de novo para o encore, e depois saíram, satisfeitos com os resultados, com a forma como tudo tinha corrido como planeado e com o entusiasmo dos fãs.

- Correu bem – admitiu Bill. Bateu palmas uma vez e atirou-se de novo para o sofá, exausto.

- Quase trocaste a ordem, mas depois apanhaste-a bem – conversavam Gustav e Georg.

Tom afastou-se gradualmente, comentava momentaneamente o que eles diziam e depois afastou-se para o corredor. Enfiou um par de moedas na máquina de bebidas e enquanto escolhia onde carregar ouviu passos vagarosos, poucos comuns no backstage.

- Consegui encontrar-te

Olhou para o lado e viu Alice, com um casaco preto que parava na cintura, apertado até cima e de novo os cabelos soltos, a cobrir toda a zona dos ombros, emoldurando o rosto de traços fortes.

 

 

tags:

publicado por Marii R. às 16:56

link do post | favorita-me

De ztiluak a 4 de Abril de 2010 às 20:37
Coitadinho do Tom, está triste.

Oh! Ela apareceu.

posta mais pff


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




Anteriormente

Feliz Natal

Psychiatrist Me #2

Psychiatrist Me #1

Assusta-me

Arquivo