Fics

Love is not a feeling... It's strength.
Terça-feira, 20 de Outubro de 2009

26º Capítulo - Espera por Mim

Hey,

Mariana anda desaparecida, again -.-

Já estou a escrever o capítulo 27, visto que me deu uma súbita inspiração o.o

Mas resolvi vir já postar este agora.

;D


Beijinho beijinho, ah! e obrigada pelos elogios xD omg afinal por fotos aqui compensa

x) kkkiding


E cheguei à conclusão que nao vos mostrei os meus desenhos todos do ano passado x)

A minha japoneeese :D  :

 


Marii K.

 

 

 

Capítulo 26

Sensatez
 
 
 

“Anemia de Fanconi (AF) atinge uma média de 1 pessoa a cada grupo de 360.000. As principais complicações da AF incluem hemorragias, infecções, leucemia, síndrome mielodisplásica e tumores hepáticos. “

 
 

            Tom engoliu em seco. Sentou-se na minha cama e quando juntou as mãos, soube de imediato que iria ter uma conversa sensata. Há muito que não o fazia e isso tornou talvez o momento ainda mais emotivo para mim.

            Fechei o portátil e posei as mãos nos olhos.

            - A Allison sabe disto tudo?

            - Não, ela… não está cá e a Charlotte só me contou isto ontem.

            - Então isto quer dizer que não acabaste com a Allison?

            Olhei-o nos olhos e fiz uma expressão perdida, ela ainda não tinha percebido?

            - Acaba com isso Bill… o que é que estás a fazer? Vais magoá-la assim?

            - Magoar quem? – Perguntei, confuso.

            A expressão dos olhos de Tom tinha mudado. Estava desiludido e assustado, como se de repente eu tivesse mudado de corpo e fosse outra a pessoa que estava ali na sua frente. Levantou-se e olhou-me nos olhos.

            - As duas! A Charlotte deve esperar que deixes a Allison e a Allison não sabe de nada. Isso é puro egoísmo, nem sei o que estás a fazer…

            Voltou-me costas e eu demorei pouco tempo a assimilar o que me tinha dito.

            - Hei! – Gritei – Quem és tu para me dizeres isso? – Perguntei-lhe agressivo, num tom que nunca deveria ter usado - tu que andavas aí a comer meio mundo, presunçoso da vida, tu que –

            - As coisas mudaram Bill! – Gritou-me, também interrompendo-me – Tu é que continuas preso ao que eu era, ao que nós fomos. Já não somos os gémeozinhos queridos que éramos. Já não andamos aos sorrisos e aos abracinhos, não somos assim!

            Senti-me flamejar, de raiva ou arrependimento, não conseguia identificar.

            - Tu sabes bem o que nos une Tom! – Gritei, magoado.

            - O sangue, nada mais

            E voltou-me costas sem mais nenhuma palavra.

            Repensei na razão daquela discussão, mas não encontrava. Fora inesperada mas no entanto verdadeira. Tom tinha finalmente exposto tudo o que sentia, e eu no mínimo sentia pura e simples culpa. Não podia sentir-me mais arrependido da distância que se criara, quando eu o queria agora, mais perto do que nunca. Quando eu sabia agora, que precisava dele tão desesperadamente como de ti. Doía-me saber que o tinha deixado para trás para seguir num outro rumo, que afinal.. não me levara a lado nenhum.

            Descalcei os ténis e atirei-os contra a parede. Estava despedaçado, tudo porque sabia agora, que realmente não controlamos o destino, mas que podemos tentar manter quem gostamos perto de nós. E nada disso eu tinha feito.

            E enquanto via o sol descer e a noite chegar, não deixava que as lágrimas de abatessem. Talvez estivesse apenas em estado de choque.

           

Posso ver-te amanhã, de novo?

 

            Encostei a cabeça na almofada enquanto esperava que o ecrã do telemóvel se iluminasse. Aconteceu nos segundos seguintes.

 
Uma nova mensagem de: Charlotte

Claro que sim. Vens cá ter?

 

            Apesar de esperar uma resposta, surpreendi-me por estares acordada àquela hora.

 

 

Vou. De manhã.

(:
 
Uma nova mensagem de: Charlotte

Não consegues dormir?

 
 

Está complicado. Mas tu é que tens de descansar, certo?

 
 
Uma nova mensagem: Charlotte

Certo. Já falaste com a Allison?

 

            Percebia agora o que Tom queria dizer. Ela estava de facto ansiosa, e não via nada disto tão oficial quanto eu. Senti-me egoísta. E respondi da mesma forma egoísta.

 
 

Falamos amanhã. Dorme bem :)

 
 
            Faltava-me a sensatez do meu irmão.
 
 
 


publicado por Marii R. às 18:47

link do post | favorita-me

De Joanne a 20 de Outubro de 2009 às 20:48
Adorei este capítulo completamente!
O Tom tem toda a razão, não podia ter dito melhor. Mas foi um tanto ou quanto bruto. Eu continuo na minha ideia, desde o inicio, que o Tom sentia qualquer coisa pela Allison, daí ter agravado a situação entre os dois irmãos xD (Lá estou eu com as teorias).
Ele tem mesmo de acabar com a Allison :c

Quero mais! :D
Beijinhos. Ah e o desenho está espectacular, gente com talento é outra coisa xD


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




Anteriormente

Feliz Natal

Psychiatrist Me #2

Psychiatrist Me #1

Assusta-me

Arquivo