Fics

Love is not a feeling... It's strength.
Terça-feira, 15 de Setembro de 2009

15º Capítulo - Espera por Mim

Hey,

peço desculpa pelo atraso. Mas a escolinha não perdoa e eu ainda ando meia perdida com o horário. Tenho de me organizar.

De qualquer maneira, amanha tenho tarde livre e vou trabalhar na fic para a adiantar como deve de ser.

Mas isto de postar um dia depois tem efeitos positivos xD tantos coments x)

Este capítulo é para a SoniaKaulitz. Acho que vou seguir o teu conselho e por uma das fics em concurso. Amanha vou por uma votação para me ajudarem na escolha. Depois explico tudo :)

Beijinhos,

Marii K.

 

 

15º Capítulo

Sonhos
 
 
 

            Queria ser teu. Queria que tudo o que estava a cair fosse reposto.

            Queria vezes e vezes sem conta que o mundo não tivesse existido sem tu apareceres. Porque da maneira que eu te amo… tu transformaste a minha vida. Queria que fosses a minha vida. Para sempre. Aqui, agora.

 
*
 

            Era traição o que eu estava a fazer?

            Quando encostei a cabeça na almofada só me apetecia voltar atrás. Queria que tu fosses apenas uma miragem. Algo que eu admirasse. Algo onde eu não ficasse preso. Eras já tanto naquela altura. E eu sabia que não ia aguentar estar longe de ti.

            Mas não sabia como iria conciliar a minha amizade com o amor por Allison. E mais importante; não sabia como olhar-te pela perspectiva de amiga. Se o meu corpo ficava quente, se o meu coração saltava em desproporcionalidade.

            Fechei os olhos e tentei não imaginar o olhar desapontado de Allison sobre mim. Mas os sonhos chegaram outra vez. Eram sempre agitados e eu não sabia quem via. Acordava de manhã apenas com uma névoa, e um irredutível cansaço. Como iria sobreviver se nem sabia combater os sonhos?

 

            - Estás bem Bill? – Perguntou a minha mãe ansiosa.

            - Sim, porquê?
            - Ontem não jantaste…
            - Não? – Perguntei confuso.

            Revi toda a minha rotina do dia anterior e realmente não consegui encontrar a hora do jantar. Tinha vindo directo do Liceu para casa da Allison e depois para casa. Não vi horas. Não fazia ideia da hora a que me tinha deitado, de quando tinha acordado sobressaltado.

            - Não. E chegaste tarde. – Parou - Fiquei preocupada. – Acabou por confessar - Sabes que podes jantar em casa da Allison quando quiseres e ficares até mais tarde, mas podias avisar.

            - Tens razão – Olhei a torrada que tinha no prato e trinquei-a uma vez até a colocar de novo no prato – Não volta a acontecer.

            Levantei-me da mesa e saudei o Gordon quando passou por mim.

            - Bill! Não acabaste o pequeno-almoço!

            - Não tenho fome mãe. – Disse do hall de entrada onde juntava as chaves e o dinheiro na mala.

            - O que se passa com o teu irmão? – Ouvi-a sussurrar.

            - Perguntas-me a mim? – Ouvi Tom ainda grunhir.

            E bati a porta com um suspiro. Se eles tinham reparado em minutos… Allison iria reparar num segundo.

 

            Se a traição fosse uma palavra. Se a traição fosse um olhar, o calor que me percorria, os sonhos que tinha, os pensamentos que se formavam… eu estava condenado.

            - Bill… Está mesmo tudo bem?
            - Já te disse que sim Allison

            Suspirei e atirei com a mala para cima de um banco.

            Sempre a mesma pergunta que me cansava o dia-a-dia. E se bem conhecia Allison, ela não iria parar de perguntar até obter uma resposta que a satisfizesse completamente.

            - Não comeste nada. Atrasaste-te. – Constatou enquanto me observava sentar.

            - Allison. Pára de analisar. Nunca tiveste mal disposta num dia?

            - O que é que mudou desde que eu tive doente? Diz-me Bill, o que é que mudou? – Continuou a insistir.

            - Não mudou nada! – Quase gritei. – Fogo Allison. Em casa são as mesmas perguntas, não me podes dar um espaço? Não sejas igual a eles…

            - Se em casa te fazem a mesma pergunta, mais uma razão para eu me preocupar. Afinal não estás assim tão distante só comigo.

            - Eu não estou distante com ninguém. Allison, sou eu mesmo!

            Peguei na mala e andei em passos rápidos até à casa-de-banho quando fui interceptado pelo teu sorriso.

            - Está tudo bem Bill?

            Olhei-te assustado. Como poderia estar toda a gente a perguntar-me isto nestes dias? Respondi-te com um sorriso fraco e um aceno e apressei-me de novo para a casa-de-banho.

            Atirei a mala para o chão e lavei a cara com água fresca. Ouvia as conversas, os gritos, as brincadeiras bem ao fundo. Como se estivesse fechado numa cave só minha, e agora completamente isolado. Não havia Allison, não havia Charlotte. Tu meu amor, continuavas tão longe quanto a minha decisão.

            Levantei os olhos da água gélida e vi o meu reflexo no vidro. Aqueles olhos contornados por um doente negro e praguejados de um terrorífico vermelho não podiam ser meus. Eram de outra pessoa, alguém que não dormia há muitos, muitos dias.

            Foi quando consegui rever todos os meus agitados sonhos daquela semana. Onde tu entravas sempre. Onde era sempre a ti que eu amava. Era sempre o teu sorriso que eu via de manhã e não o de Allison. Como podia ser tão egoísta? Como podia já não a ver?

            Eras tu o meu centro no inconsciente.

           

 

 

 



abdominais:
De Joanne a 15 de Setembro de 2009 às 23:35
Omg, amei como sempre!
Descreves tão bem esse desespero e indecisão do Bill. Ele tem que se decidir, se é a Charlotte que ele vê nos sonhos, ao menos que conte a verdade e não deixe a namorada a fazer figuras de parva que isso não se faz xD

Mais! E boa sorte com a escola :)
Beijinhos


De Tommazinha a 15 de Setembro de 2009 às 23:56
Hallo!!!
Ainda não acredito que as aulas começaram =S, mas pronto tem que ser...

Não me admire que o Bill acabe com uma depressão. Ele está a viver tudo tão intensamente e está completamente perdido.
Coitado, no fundo é dele que tenho mais pena.
E agora fica a grande incógnita no ar: Allison ou Charlotte?
Menina Mariana tem que se despachar a desenrolar a história, isto é um sofrimento xD
Já nem comento a tua escrita, tu tiras-me as palavras da boca, por isso continua =D

Bjão grande


De T'Girl a 16 de Setembro de 2009 às 09:51
GO TEAM CHARLLOTE

ai o Bill está tão indeciso omg

o que se passa com os gemeos afinal????

não gosto nada de os ver assim --'

posta mais beijinhos

p.s.: boa sorte com a escola


De a 16 de Setembro de 2009 às 12:43
Hey :)
Já estão todos a perceber que o Bill anda meio esquisito, ele já não deve de conseguir esconder por muito mais o que sente pela Charlotte.
Acho que sou Team Charlotte, ainda estou indecisa xD
Quero mais :D
Beijinhos


De Ritaa a 16 de Setembro de 2009 às 14:19
Ai meu Deus, esta pseudo-negação anda a fazer-lhe mal. O.o Ele já nem sabe o que faz! =o
E eu, apesar de ser Team Charlotte *of course!*, acho que vou ficar com bastante pena da Allison quando ele parar de ser burro e acabar de uma vez por todas com ela! Tudo bem que a Mrs. Eu-sou-muito-certinha-e-tem-quer-ser-tudo-feito-consoante-as-regras até é queridinha e tal, mas o Bill já anda demasiado "infeliz". .__.
Estou tããão ansiosa para o ver, finalmente, com a Pinky! *.*


De SoniaKaulitz a 16 de Setembro de 2009 às 14:47
HEHEHEH ameiii o meu capitulo, e amei que mo tivesses "dado" LOol ....que fixe, tu vela se meresolves isto que eu nao quero que o Bill enlouqueça pah, isto ta a dar cabo dle coitado =(
Vai magoar-se a ale e a Allison que nao tem culpa alguma de ele ja nao a amar como dantes, acho que a soluçao é contar de vez......adoro esta fic pah.
Tu nao nos vais fazer escolher uma fic para consorreres ao concurço, pois nao? Eu nao consigo escolher amei todas , mezmo todas . Axo que fazes muito bem participar porque escreves realmente bem, tens muitas mas muitas hipoteses de ganhar tu sabes nao sabes? as tuas fics sao as unicas que me fazem sentir isto qd leio.
Bjinho, posta mais e fika bem =)


De Maupa a 16 de Setembro de 2009 às 15:42
Era ela o centro da vida dele.
Man, espero que não sejas louca e o faças virar vampiro! x'DDD
"Aqueles olhos contornados por um doente negro e praguejados de um terrorífico vermelho não podiam ser meus. "

man, amei. Mais sim? *.*


De ztiluak a 16 de Setembro de 2009 às 17:41
amei as descriçoes dos sentimentos do Bill! O rapaz nao esta mesmo nada bem coitado!

posta mais, bjs!


De Maria a 16 de Setembro de 2009 às 19:14
Hi sweety! x)

O Bill, coitado, está cada vez pior...Já nem dormir consegue, não anda com fome...e tudo por causa deste amor.*
Ele ama realmente a Charlotte, mas isso já começa a afectar seriamente a vida dele!

Posta mais, sim querida?
Beijinhos muito grandes, dear!
:D


De Helena Manson a 16 de Setembro de 2009 às 20:09
Omfg, mas o Bill gosta mesmo da Charlotte *.*
É tão querido ;3
Posta mais depressa *_*


Comentar post

Anteriormente

Feliz Natal

Psychiatrist Me #2

Psychiatrist Me #1

Assusta-me

Arquivo