Fics

online
Love is not a feeling... It's strength.
Terça-feira, 25 de Agosto de 2009

36º Capítulo - Odeio-te a Ti - Penúltimo

Hey,

não me esqueci de de ti ztiluak, como disseste da outra vez ;D

E..ya e o penultimo capítulo. Amanhã posto o último =)

Obrigada pelos comentários todos *.*

Espero não vos desiludir com a nova fic.


P.S.: gosto muito deste capítulo :)


Beijinho,

Marii K.

 

 

Trinta e Seis
Odeio-te até rimar
 
 

Fez-se silêncio no quarto. Era apenas o barulho do televisor do quarto ao lado, e os carros a passar na via rápida.

- Desculpa – ela murmurou.

Tom ergueu o olhar e fixou-o nela, surpreendido, mas também confuso.

- Por o quê?

- Por…te ter tratado daquela forma e quase te ignorar. Desculpa, tu não o merecias. Se queres falar, se te queres desculpar tens direito de o fazer sem eu interromper ou algo do género.

- Hum… ok. – Disse ele, enquanto pousava o olhar na cama.

            Acabou por se levantar e dirigir-se à porta.

            - Espera! Onde vais?

            - Comer qualquer coisa, queres que te traga?

            - Não

            Ele encolheu os ombros, abriu a porta quando foi mais uma vez interrompido:

            - Não, quer dizer, não te vás embora… -parou, sem palavras - Desculpa Tom…

            - Já disseste. Não precisas de pedir desculpa só porque o Bill fez chantagem. Ele amanhã põe-nos num avião de qualquer maneira.

            Tom fitava-a da porta, e Megan só conseguia fixar os seus lábios, e pensar no quanto lhe apetecia tocá-los. Mas era de novo um sentimento contraditório, pois não o queria fazer enquanto não estivesse tudo resolvido.

            Podia sentir raiva, podia sentir ódio, mas amava-o da mesma maneira. E tudo o resto já se habituara a neutralizar, porque não fazê-lo agora? Porque razão se mantinha afastada de novo, pelo orgulho? Já nem era ela que o necessitava, mas quando o sentiu tocar-lhe levemente enquanto ela aparentava estar a dormir…despertara nela sensações. Ela sentira que era total e incondicionalmente amada. Ele não fazia nada para lhe demonstrar, nem para mostrar cá para fora que a tinha. Eram sentimentos e necessidades que haviam ali. E Megan só o conseguiu perceber com a discussão, porque por muito atiçada que fosse, a prioridade que lhe passava pela cabeça e que ela continha durante a conversa, era beijá-lo. Atirar-se nos seus braços e chorar no seu ombro pelo futuro que não iriam ter. Pelas alegrias da liberdade que não iam gozar. Queria-o a ele, mais do que tudo, mas sabia que agora talvez não fosse credível.

            - O que queres Megan? – Suspirou, fatigado.

            Magoou-a com aquelas palavras cansadas, mas ela merecia-o. Merecia que ele estivesse cansado das incertezas que não compreendia.

            - Eu sei que me amas. Desculpa ter dito que não tinha a certeza. Porque eu tenho-a, tenho mesmo.

            Ele coçou a cabeça, embaraçado. Voltou o olhar para a rua e deu um passo, mas depois recuou de novo. De qualquer maneira partiria no mesmo segundo. Só tinha de rematar, tinha de lhe responder de alguma maneira que a atingisse. E porque é que eles são tão iguais ao ponto de se quererem magoar um ao outro? Depois pedem desculpa, depois arrependem-se… mas é a natureza do momento. E ambos são humanos de orgulho e teimosia. Iguais nesse aspecto, e assim chocam.

            - Ainda bem que pelo menos tens essa certeza. Porque eu não sei nada disso.

            E voltou costas. Mas quando a rapariga lhe gritou de novo, ele ficou estático.

            - Odeio-te Tom!

            Odeio o modo como falas comigo…

            …e como caminhas a segurar as calças com as mãos…

            Odeio a tua maneira de me perseguires…

            Odeio quando me olhas fixamente…

            Odeio o teu boné roxo…

            …e a maneira como me lês os pensamentos…

            Odeio até ficar doente…

            …e até me faz rimar…

            Odeio…

            Odeio o facto de estares sempre certo…

            Odeio que sejas tão teimoso quanto eu…

            Odeio quando mentes…

            Odeio quando me fazes rir…

            …e ainda mais quando me fazes chorar…

            Odeio quando não estás por perto…

            …e quando me fazes esperar…

            Mas, principalmente, odeio o facto de não te odiar…

            …nem um pouco…

            …nem perto disso…

            Acabou de falar com os olhos inundados de lágrimas, e um peso liberto do coração. Nem ela sabia como conseguira explicar o que lhe ia lá dentro. Nem ela sabia como conseguira rimar. Talvez seja o seu subconsciente que sempre quisera fazer isto, e tenha formado as palavras lá dentro. Especialmente para ele, porque mais ninguém o tinha de ouvir.

- Vais ter de escrever isso… - murmurou ele, após um silêncio. Não tinha palavras.

Largou a carteira das mãos e andou até ela para a abraçar com tanta força da vontade que tinha. Beijou-lhe o cabelo e as orelhas, beijou-lhe a bochecha e a testa. Beijou-lhe os lábios quando a sentiu tão sua, quanto sempre fora.

 
 

O original deste poema encontra-se no filme “10 coisas que odeio em ti” que vi quando tinha 10 anos. Nunca me esqueci. Portanto, achei que encaixava optimamente na fic e significa muito. Modifiquei muitas das partes, mas não podia identificá-lo como meu de nenhuma maneira:)



abdominais:
De Maria a 25 de Agosto de 2009 às 12:54
Hi sweety! x)

O capítulo está mais que perfeito! Finalmente que estão juntos outra vez, fico mesmo feliz por isso!
E o poema encaixa como uma luva na Fan Fic! :D
Tenho pena que já seja o penúltimo capítulo, porque amei ler esta fan fic!
Agora estou super ansiosa por ler o último capítulo!
Beijocas muito grandes, dear!
:D


De Maria a 25 de Agosto de 2009 às 12:55
First!

:D


De a 25 de Agosto de 2009 às 12:55
Hey ^^
É o penultimooo? oooh :M
Eles fizeram as pazes *-----* Finalmente :D
Aquela parte dos odeio-te está tão gira ^^
Quero maiiis :D
Beijinhos


De Ritiik a 25 de Agosto de 2009 às 13:38
Hey!
Awww... o meu capitulo favorito *g*
O poema é realmente bonito 8)
É pena uma fic como esta estar a acabar :/
Mas se tu gostas da próxima, não há razão por não gostarmos também, tudo o que escreves é maravilhoso, viciante, tocante e quanto mais adjectivos desse género, que eu agora não me lembro porque acabei de acordar e com uma forte dor de cabeça -.-'
Podias postar o último capitulo ainda hoje, seria... óptimo para nós, as leitoras assíduas e queridas hehehe
Fico à espera (;
Beijinho *


De Tommazinha a 25 de Agosto de 2009 às 14:39
Hallo!!!
Este capítulo foi sem dúvida dos melhores da fic inteira, se não o melhor!!
Amei mesmo o poema, encaixa na perfeição com a fic. E, finalmente, o Tom e a Megan fizeram as pazes da maneira mais linda que podiam ter feito =D
São mesmo feitos um para o outro.
Mas por outro lado estou triste, a fic está a acabar =( este foi o penúltimo. Mas prontos, que venha a próxima ;)
Escreve +++++++++++

Bjão grande


De SoniaKaulitz a 25 de Agosto de 2009 às 15:08
T_T Omg ja o penultimo.... Tenho gostado tanto de ler esta fic.
Felizmente eles fizeram as pazes ...e de uma maneira um tanto estranha mas olha resultou.....o poema enquadra-se muito bem, ela rebentou cm tudo quando lhe disse akilo.
BEM SE ESTE CAPITULO FOI BRUTALOID ....xD, O ÚLTIMO VAI ME DEIXAR MALUCA.
Bjinhos, e podias flar um bocadinho da nova fic´zinha....ao menos da o titulo.


De ztiluak a 25 de Agosto de 2009 às 15:49
ja e o penultimo? Esta fic esta tao perfeita!

adorei este capitulo, finalmente estao juntos outra vez....


De Anne a 25 de Agosto de 2009 às 16:28
Esse capitulo é realmente lindo !!!! *_______*


De Melancia a 25 de Agosto de 2009 às 19:27
Ohhhh, este capitulo esta de facto lindooo! Tudo que queriam dizer foi dito naquele poema. Ela necessitava de libertar aquilo que a atormentava e foi isso que fez. Ela realcou perante aquelas palavras que apesar de tudo ele seria para sempre dela, assim como ela dele. A cena inicial tb esta igualmente lindaaa, quando ela tenta chamar-se a razao ele puxa por ela ignorando, mostrando que cada palavra lhe era indiferente. Amei! A quimica que existe entre eles esta mais que evidenciada no capitulo! Parabens :)

kuss


De Joanne a 25 de Agosto de 2009 às 20:48
Palavras para quê? Já foi tudo dito, este capítulo está lindo, e o melhor de todos! Amei o poema encaixa perfeitamente, até me vieram as lágrimas aos olhos ;_;
E nem posso acreditar que está mesmo a acabar, não pode ser! Cada fic que escreves é melhor que a anterior, quando eu acho que não é possivel haver melhor Oo
Pronto, venha o ultimo então ;_;
Beijinho


Comentar post

Song.

One Republic - Secrets

Download this Mp3 @ Booster MP3

Anteriormente

Feliz Natal

Psychiatrist Me #2

Psychiatrist Me #1

Assusta-me

Arquivo

Votação

Queres a proxima fic baseada na musica:
Alien
World Behind My Wall
That Day
Phantomrider
Attention
Zoom Into Me
In Your Shadow (I Can Shine)
  
pollcode.com free polls
online