Fics

online
Love is not a feeling... It's strength.
Quinta-feira, 26 de Fevereiro de 2009

7º Capítulo - Talvez no Futuro

Hey

Portanto... eu hoje estou a postar como já repararam (--') , mas é por causa de certas pessoas, a quem eu não resisto. É por elas que eu posto, por mais ninguém! Elas sabem perfeitamente quem são, porque comentaram o capítulo anterior.

Enfim...

 

O capítulo de hoje é um bocado para o revelador x)

 

Ah! Fotos do Carnaval! Mas depois vou ter uma mais gira, mas está na máquina da Sofia.

 

-> Eu na Quinta-feira (Genial... à porta da escola e atrasadíssima para a aula de Inglês)

-> Eu na Sexta-feira ( O meu cabelo estava tão lindo u.u )

-> Eu no Sábado ( Pedro, Joana e eu )

 

 

Beijinho@ xD

 

 

 

7º Capítulo
 
           
            Todos os dias esperava que o sol se pusesse e que algo melhorasse. A vida teimava em enganá-lo. Teimava em magoar cada movimento e cada pensamento, carregando-o de culpa e temor. A vida iria melhorar para ele, tal como melhorou para a cidade que deixou para trás.
 
***
 
            Pegou no caixote, que se encontrava completamente fechado e andou em passos rápidos para casa, tentando parecer despercebido. Encontrou quem menos esperava, a ela não lhe devia boa educação. Agradeceu por isso.
            - Tom! Então, não te tenho visto.
            - Agora não Cady.
            - Posso ajudar-te a levar isso? – Aproximou-se e tocou na caixa.
            - Agora não. Adeus Cady.
            Quase correu para casa, entrou e olhou Bill com raiva.
            - Nunca, nunca mais faças as coisas assim. – Disse secamente.
            Deixou cair a caixa no chão e abriu-a com tanto ódio que a fita adesiva que a protegia lhe feriu os dedos. Retirou as fotografias e colocou-as no móvel. As mãos tremiam-lhe, e Bill agarrou o seu braço com força.
            - Desculpa. Ela também significava muito para mim. Era a minha melhor amiga.
            - Para mim era uma cabra. E mesmo assim, eu nunca deixei de amar.
            - Eu nem nunca duvidei disso Tom. – Deixou o irmão e pegou numa foto. Colocando-a de novo na caixa.
            - Duvidaste, eras meu irmão e duvidaste de mim. Isso, eu não esqueço.
            Pegou na caixa e deixou apenas a foto de Bill com Rachel em cima da lareira. Dirigiu-se para o quarto, ligando o aparelho de som, para abafar a sua dor, mas era completamente impossível. Seguia pelos caminhos tortuosos do dia. A luz solar parecia ferir-lhe os olhos, ferir-lhe o orgulho.  
            Deitou-se sobre a cama, esperando que o negro da noite, lhe trouxesse à memória, a razão de ter continuado a amar Rachel.
 
***
 
            - Tom? – Olhou-o incrédula enquanto fechava o café à chave.
            - Má altura? – Perguntou tristemente.
            Meredith sabia que realmente era má altura, que tinha de ir para as aulas do curso nocturno. Mas Tom não ia saber disso. Escondeu a vergonha e considerou que realmente, atrasar-se um dia não iria fazer mal.
            - Não, claro que não. Está tudo bem?
            - Sim, apenas precisava de companhia.
            - A estas horas? – Arregalou os olhos e sorriu simpaticamente ao ver os olhos cor de mel brilharem. – O Bill?
            - Outro tipo de companhia.
            As faces de Meredith tomaram outro rubor. Sorriu e guardou as chaves na mala.
            - Vais para casa? – Perguntou-lhe Tom com uma voz ansiosa.
            - Ham…não exactamente. Onde é que queres ir?
            Tom sabia perfeitamente onde queria ir. Há meses que o sabia, mas apenas não suportava a ideia de voltar àquela cidade, de voltar a sentir o mesmo sentimento de culpa. O mesmo sentimento de invasão, que Rachel sempre lhe provocara.
            Não sabia se conseguiria aguentar. Mas no entanto olhou os olhos negros da rapariga e sentiu a tentação, de lhe pedir que o ajudasse. Ou estaria a usá-la?
            - Eu não devia. Mas eu precisava de ir a um sítio, não consigo ir lá sozinho…
            - Mas eu não tenho carro, não te posso dar boleia se é o que precisas. – Meredith andou até à paragem de autocarro e encostou-se a um poste, olhando o sorriso misterioso de Tom.
            - O que foi? – Perguntou ela por fim.
            - Eu não preciso de boleia.
            - Então, porque não consegues ir lá sozinho?
            - Tu subestimas o efeito que tens em mim.
            Olhou Meredith com carinho e juntou o corpo ao seu, abraçando-a. O estranho toque de Tom, fez a rapariga estremecer, mas ao mesmo tempo o seu coração abrandou. Como se o peso do mundo sobre os seus ombros fosse muito menor.
            - Tu não me conheces… - murmurou confusa Meredith.
            - Mas tu conheces-me a mim.
            Afastou-se da rapariga e beijou-lhe a face, os lábios frios sobre a pele ruborizada e quente foi o suficiente para despertar o desejo de conhecimento com Tom. Meredith entregou-se ao sentimento desconhecido de compaixão.
            - Onde queres ir então?
            Tom tomou a sua mão e instalou-a dentro do seu carro luxuoso. Era quase meia-noite, e iam a meio do caminho. O silêncio era cortante, mas Meredith sentia-se demasiado acanhada para o quebrar.
            Chegaram então ao destino. O local era mórbido. Era essa a melhor definição.
 
 
 

 

 

I'm: Inspirada
Song: Gimme more


abdominais:
De Mary17 a 26 de Fevereiro de 2009 às 22:01
=) a fic esta a ficar cada vez mais viciante xD


De a 26 de Fevereiro de 2009 às 22:38
ahah, as fotos estão tão giras :p

*___* AMO a tua fic Marii =D
Essa Rachel é mááá :p
Toua ficar viciada também nesta fic, o que é bom :D

Beijinhos*


De Rafaela a 27 de Fevereiro de 2009 às 00:45
Bem, eu ja naum sei u qe dizer vistu qe ja disse u quanto tou a adurar esta fic.

Nunca deixes de postar, sim??

beijinhus *.*


De Joanne a 27 de Fevereiro de 2009 às 02:09
Ola Marii! ^^

Já cá estive a ler, uma parte, sim porque fui interrompida, enfim e tive de deixar o capitulo a meio, o que detesto mesmo. Mas já ca estou outra vez e já reli todinho. Tu realmente deixas-me sem palavras, completamente.
Os sentimentos que colocas nas personagens, eu consigo senti-los, é incrivel. Adoro a relação que crias-te em redor da Meredith e do Tom. É assim uma coisa querida e misteriosa ao mesmo tempo, não seu explicar bem. [eu nunca me sei explicar caramba >.<]

Enfim. Fico sempre com um estado de espirito tão...sereno, não sei se será bem a palavra, quando leio as tuas coisas. Amo, ja deves estar farta de ouvir isto, mas eu não me canso de dizer. Quando gosto, gosto mesmo. E nada do que digo, que fique aqui bem esclarecido, é graxa, é a mais pura das verdades. Tambem sabes isso xD

Não te vou chatear mais.
Quero muuito mais, já faz parte da minha vida :$$
Beijinho da chata do custume ^^


De Melancia a 27 de Fevereiro de 2009 às 03:16
Ainda bem que postaste!...espero q tenhas tirados essas ideias malucas de que n gostamos da fic...olha se continuas vou me zangar menina marii, ai ai ai!

Adiante...em relacao ao capitulo!PERFEITO como sempre...embora este tenha despertado maior curiosidade devido a forma como o apresentaste...o facto de teres revelado parte do sofrimento do Tom leva nos a perceber mlhor esse sentimento q o perturba!...consegues smp ser explicita nesses campos lol...amei a forma como descreveste a raiva de Tom perante a caixa q Bill inicialmente tinha "deitado para o lixo". Ah e amo...mas amo mesmo a relacao dele com Meredith...é super cumplice e de certo modo constragedora....n sei explicar bem...mas gosto imenso a forma como escolheste estruturar esta relacao!...por favor continua a postar :D

küss


De Melancia a 27 de Fevereiro de 2009 às 03:17
*tirado

ps- no comentario anterior qd falei da relacao "dele e da Meredith" refiro me a Tom lol...


De Flipa a 27 de Fevereiro de 2009 às 08:35
Capitulo mt giro!!! Posta mais...


De SoniaKAulitz a 27 de Fevereiro de 2009 às 14:14
Hooo Miuda tens toda a razão pa fikares chateada, eu sei k n sou la grande comentadora, mas faço k posso , provavelmente era uma das 8 online do outra dia mas eu as vezes tou com mta pressa e so venho ca mezmo ver se ja postaste, e guardo o comentario pa mais tarde...eu adoro a fic mezmo ...e nao me canso de dizer k as tuas fics sao das melhores k ja li ate hj ...plo menos as k mais me fazem chorar....adoro ....e prometo k kd voltar deixo um comentario mezmo minimo k seja...DESCULPA =( ( e posta rapido ok )


De Joana a 27 de Fevereiro de 2009 às 14:23
Olaa Olaa!!

Aquela candy é uma cOlas!!

O que será que acOnteceu a essa tal de Rachell??
AgOra fiquei curiOsa!!

pOsta mais um capitulO please!!! =)

Amei este capitulO

Posta mais, please, please x'D

jOkax grandes


De nesa a 27 de Fevereiro de 2009 às 16:16
Hallo :D

Ainda bem que voltaste a postar *.*
Gosto tanto das tuas fics! Tu escreves de uma maneira bonita e consegues expressar muito bem os sentimentos de cada personagem. Parece que nós estamos ao lado das personagens enquanto eles "encenam"! Adoro mesmo os teus textos ^^

Quanto ao capítulo:

O Tom queria mesmo a caixa e ficou mesmo zangado, que até foi buscá-la de novo.

A Meredith com o Tom são tao queridos *.*
O Tom gosta mesmo dela... será amizade ou amor? isso já não sei xD

Onde foram?
Lugar mórbido =S

Posta mais,sim?

Muitos kussess =D


De ImmortalEcs a 27 de Fevereiro de 2009 às 18:11
Tá muito giro @@

Beijinho@


Comentar post

Song.

One Republic - Secrets

Download this Mp3 @ Booster MP3

Anteriormente

Feliz Natal

Psychiatrist Me #2

Psychiatrist Me #1

Assusta-me

Arquivo

Votação

Queres a proxima fic baseada na musica:
Alien
World Behind My Wall
That Day
Phantomrider
Attention
Zoom Into Me
In Your Shadow (I Can Shine)
  
pollcode.com free polls
online