Fics

online
Love is not a feeling... It's strength.
Quarta-feira, 4 de Agosto de 2010

18º Capítulo - Promessa

Hallo :)

 

Obrigada pelos parabéns :D

Pelos vistos o coisinho da votação está a ter sucesso, neste momento está a In Your Shadow a ganhar, o que me deixa um bocado às aranhas porque não sei muito bem como vou fazer essa o.o, maaas, eu arranjo-me. De qualquer maneira têm muito tempo para votar ainda :)

 

Estou tão triste pelo passatempo da Reebok ser apenas para aqueles 3 países :( é tão injusto.

Eu + 1 dia + Tom Kaulitz = Morte Cerebral por felicidade.

Mas enfim... Não sou só eu a desiludida de certeza :(

 

Beijinhooos ;D

 

 

XVIII

 

 

O corpo parecia ter sido lançado. Tom agarrava-a de uma maneira incompreensível, como se naquele momento agarra-se o seu mundo.

- O que se passou Alice?

Ela gemeu. Não queria falar.

- Alice – parou – conta-me

Continuava um silêncio, apenas o som de Tom a afagar o seu cabelo comprido. Beijou-lhe a cabeça. Nunca se tinha imaginado assim. Alice apertava-lhe a t-shirt com força quando o telemóvel de Tom tocou, no bolso.

Ela afastou-se imediatamente. Fungou apesar de não estar a chorar, era como se estivesse apenas a escorrer por dentro.

- Atende. – E afastou-se, entrando na casa de banho. Fechou a porta atrás de si.

Tom olhou para a porta expectante mas acabou por atender o telemóvel.

- Sim – falou.

- Então, está tudo bem? – Falou a voz de Bill, do outro lado do oceano.

- Sim, mais ou menos.

- Porquê? – Perguntou o irmão imediatamente, Tom percebeu pelos barulhos que Bill estava a mastigar.

- Nada que possas resolver.

- A Alice está bem?

- Sim, está.

- E tu?

- Também Bill. Olha eu…tenho de desligar está bem? Ligo-te mais logo, de qualquer maneira volto amanhã.

- Pois, eu sei. E temos uma entrevista e estão a planear a tour para a Ásia e –

- Já?! – Interrompeu.

- Tom, eles falaram nisso há três semanas e todos aceitámos.

- E datas?

- Falamos amanhã.

- Mas Bill…

- Tom, tu queres fazer isto.

- Eu sei, mas –

- Com calma fazes tudo. Vai lá tratar do que tinhas de fazer ok? Até amanhã

Engoliu em seco e tirou a fita do cabelo. De repente sentia calor como se estivesse fechado nalgum sítio com milhões de pessoas. Claustrofóbico.

- Ok. Até amanhã.

Deixou o telemóvel ao lado da fita, e deu meia volta em torno de si. Inspirou. E quando estava prestes e bater à porta da sua casa de banho, viu um envelope escorregar por baixo da porta do quarto do hotel.

Pensou por momentos deixá-la lá, assim que viu numa letra perfeita o apelido Vaughn. Mas agarrou-a, e enfiou-a no bolso sem pensar sequer em abri-la.

- Alice – chamou – posso entrar?

Antes de responder, ela abriu a porta da casa de banho, mostrou um sorriso algo desvanecido, passou por ele e deitou-se na cama, olhando o tecto.

- Queres ir a algum lado hoje?

Tom encolheu os ombros.

- Como quiseres.

- Eu não quero – disse.

- Então ficamos aqui – deitou-se ao lado dela e rodeou os seus ombros com os braços.

Ela escorregou até ficar com a cabeça no peito dele. Sobressaltou-se por ouvir um bater tão rápido no coração de Tom, mas não se moveu.

- Está tudo bem? – Perguntou ela.

- Essa não é uma pergunta que devia ser eu a fazer?

- Responde-me, vá lá.

- Claro que está tudo bem… - Alice ainda não o conhecia assim tão bem para perceber que aquele tom de voz não era tão convincente quando parecia. Se fosse Bill, Tom tinha a certeza que teria de contar tudo o que lhe ia na cabeça, pois ele iria perceber de imediato que algo estava errado.

- Sabes o que eu disse à minha mãe? – Perguntou.

- Não

- Eu disse-lhe que eras como uma luz, quando está tudo negro. – parou -  Eu tenho medo do escuro. – revelou-lhe passivamente.

- E sou?

Ela levantou o tronco e aproximou o rosto de Tom.

- És.

Encostou os lábios aos dele e passou-lhe a mão pelo peito coberto pela t-shirt. Tom agarrou as suas costas e fez o beijo durar, enquanto os pensamentos não o deixavam viver aquele momento. A carta no seu bolso de repente pesava-lhe uma tonelada, e as imagens de um tour pela Ásia assombravam-lhe todo o corpo e mente que apenas queriam estar perto de Alice, quanto mais no início da relação.

- Alice – começou, interrompendo o beijo – não podes começar uma guerra com a tua mãe por minha causa.

- Oh Tom – suspirou, enquanto se deitava direita na cama – a guerra já começou há muito tempo, apenas está mais real agora.

Tom ficou a pensar no facto de a guerra já ter começado há mais tempo, mas não pensou sequer em interferir, talvez apenas tivesse medo de saber que os tais problemas pudessem estar relacionados com a carta que guardava no bolso.

E se de facto lhe perguntassem o porquê de esconder a carta, ele na verdade não saberia responder. Não por medo ou cobardia das reacções de Alice, mas pelo simples facto de não saber que tipo de instinto o levou a esconder aquele insignificante pedaço de papel. Era como se outra parte de si tivesse agarrado a carta numa perfeita lucidez do que fazia, e agora, essa parte não o deixava agarrar naquele segredo e pô-lo na frente de os olhos de Alice. Porque a assinatura de Irinna Vaughn de repente despoletava muita coisa. Incluindo o medo de ter Alice longe de si, redobrado ao receio da separação que lhe antevia pela tour da Ásia.

Uma voz gritava-lhe que era apenas só uma carta, aconselhava-o a abrir, a rectificar que era algo formal, sem sentido, sem segundas intenções. Mas outra dizia-lhe para a deixar estar numa profundeza, sem que o pudesse magoar. Mas se era apenas uma simples carta para Alice e Tom, porque razão tinha entrado pela porta do quarto dele, e não dela?

tags:

publicado por Marii R. às 18:32

link do post | Comenta e o Tom levanta a camisola | favorita-me
|

abdominais:
De ztiluak a 4 de Agosto de 2010 às 19:31
O Tom devia contar já a Alice que vai ter de ir para a Ásia ou depois mãe dela vai ter razoes para o criticar e também lhe devia dar a carta.

Não es a unica triste pelo passatempo do Tom ser só naqueles paises x)

Posta mais, bjs


De iogurta; ♥! a 4 de Agosto de 2010 às 20:47
Olá.
Gostei do capitulo. :)
Eu acho a relação deles os dois muito bonita. :D
O Tom devia de contar à Alice que vai em tour pela Ásia... e também lhe devia de dar a carta, não escondê-la... mas ele é que sabe.
Já agora, o que é que está naquela carta?
Quero mais, por favor.
Beijinhos (:


De caty a 4 de Agosto de 2010 às 22:36
Olá
O Tom deveria contar que vai fazer a tour pela Asia e dar a carta a Alice porque isso vão ser motivos para a mãe dela tornar a guerra maior.
Bjs


De SoniaKaulitz a 5 de Agosto de 2010 às 12:10
Hallo...opah que fixe que ta a fic...huhuhu eu tou a adorar posta mais ai pa eu ver.....va la torna a s minhas enexistentes ferias mais felizes com a fic....ok? bjinhos


De ∞ quinn a 5 de Agosto de 2010 às 12:53
Eu não queria nada que o Tom se fosse embora ._. Ela é que podia ir com ele, não? :p
Até tenho medo do que venha escrito na carta :s
Maiis.
Beijinhos.


De Tommazinha a 11 de Agosto de 2010 às 12:55
Olá Mariana :)

Peço imensas desculpas por ter estado ausente este tempo todo mas estive fora e não tinha como vir à net, portanto desculpa desculpa desculpa!!!
Mas de qualquer das maneiras já me pus a par de tudo e já percebi que tens andado doentinha :(
Desejo-te muitas melhoras e para ajudar dou-te os maiores PARABÉNS pelo aniversário deste fantástico blog, que cresce cada vez mais na qualidade e nunca nos desilude ^^
Eu sei que já vai um bocadinho tarde mas prontos... Mais vale tarde que nunca.
Espero que continues a escrever por muitos e muitos anos e que este blog se mantenha até lá para puder ler todas as coisas bonitas que a Dona Mariana escreve :D

Okay, em relação ao capítulo...
Quando as melhores partes acontecem tem que haver sempre qualquer coisa a estragá-las! Que raiva...
Agora o Tom vai-se meter numa tour pela Ásia, como é que isso pode ser!! Não pode não, eles têm que ficar bem juntinhos!
Não sei porquê mas aquela carta cheira-me que envolve uma certa senhora que se chama Irinna Vaughn...
Veremos!

Beijinhos muito grandes e espero que fiques boa rapidamente :)


De Tommazinha a 11 de Agosto de 2010 às 12:56
Peço imensa desculpa pelo testamento xD
Só agora é que reparei que esta coisa ficou mesmo grande!


De ourfanfiction a 21 de Agosto de 2010 às 02:05
Olá Marii! desculpa nao ter estado a comentar! A partir de agora vou faze-lo sempre, just like old times! Espero que esteja tudo bem contigo.
OMG A TUA FIC...estou simplesmente a delirar com a relaçao deles. Nao se conhecem tao bem, mas já sentem tanta coisa um pelo outro. LOVE IT.
E agora, estava a correr tudo tão bem e a isto aconteceu. Adorei a maneira como escreveste esse momento mas odeio por ter acontecido.! Nao quero que aconteça nada de mal...eu gosto danto deles os dois juntos, assim...a relaçao deles é tao simples e pura.
Por favor nao faças anada de mal Marii. eu peço de joelhos no chão!
em relaçao à escrita: perfeita, excelente, cativante, linda! adoro como sempre adorei...sabes captar a atençao do leitor com as tuas metáforas, descriçoes!
Parabéns Marii!
Posta mais!
Love youu


Comentar post

Song.

One Republic - Secrets

Download this Mp3 @ Booster MP3

Anteriormente

Feliz Natal

Psychiatrist Me #2

Psychiatrist Me #1

Assusta-me

Arquivo

Votação

Queres a proxima fic baseada na musica:
Alien
World Behind My Wall
That Day
Phantomrider
Attention
Zoom Into Me
In Your Shadow (I Can Shine)
  
pollcode.com free polls
online