Fics

online
Love is not a feeling... It's strength.
Segunda-feira, 12 de Abril de 2010

8º Capítulo - Promessa

Hey pindéricaas :D

Tantos comentários :O *yeih*

Hoje além de ser o primeiro dia de aulas do qual já estou farta -.- também fui levar a 2ª vacina do colo do útero, grrr

E estive a dançar o chachacha em educação física, meus deus! Matem-me, aqui e agora...com 3 semanas a dançar.

 

Anyway :) aqui o capítulo técnico de aulas de condução xD

Eu não tenho a carta, mas penso que está tudo correcto. Se alguém conduz aqui e vir que algo está mal, avisem :D

Ah, e esqueci-me da outra vez *.* SoniaKaulitz! :D

 

Beijinhos,

Marii K.

 

 

VIII

 

 

- Vá, quero começar – Disse Alice, colocando as mãos no volante e o olhar a percorrer o parque de estacionamento vazio.

- Então à bocado não querias, agora estás assim? – Tom sorriu.

- Convenceste-me… - Olhou para baixo para os pedais e para as mudanças – Como começo?

Tom debruçou-se sobre ela, as tranças a cair na vertical, ele arregaçou as mangas e Alice conseguiu ver os braços definidos de Tom ali, sobre a sua perna.

- Ora bem, embraiagem, travão e acelerador – disse, apontando os três pedais – O pé esquerdo só para a embraiagem e o pé direito para os outros dois.

Alice anuiu, ainda distraída com a proximidade do corpo de Tom, e pelo cheiro invisível de perfume que ele deixava atrás de si, quando se afastava.

- As mudanças, conheces? Aqui escritas, primeira, segunda, terceira. E é isto, basicamente… Quando metes a mudança carregas na embraiagem e depois vais soltando o pedal lentamente. – Alice assentia sempre com a cabeça, em sinal de entendimento – Agora no início para o pôr a trabalhar é a mesma coisa, carregas na embraiagem e depois largas o pedal lentamente dando um pouco de aceleração

Ela olhava para os pedais, para as mudanças, revendo tudo.

- Estás pronta?

Alice assentiu, rodou a chave mas demorou demasiado tempo na ignição, e o motor de arranque pareceu arranhar. Largou delicadamente a embraiagem mas não foi suficiente a aceleração, e a carrinha deu um soluço para a frente. Tom riu.

- Vá, outra vez – incentivou-a.

Alice respirou fundo, com um sorriso nervoso e repetiu a manobra. A carrinha arrancou num impulso.

- Carrega na embraiagem e mete segunda – ordenou Tom.

Alice obedeceu e acelerou. O carro andou a direito, sem soluços e Alice ria, entusiasmada. Estavam já perto do muro quando Tom interveio e virou o volante.

- Então, olhos na estrada menina Alice!

- Desculpa, desculpa – disse ela, sorridente.

Deram uma volta ao parque de estacionamento e voltaram ao mesmo ponto.

- Vês, não foi difícil

- Pois não – disse Alice abanando a cabeça e movendo-se nervosa e entusiasmada no seu lugar.

Ela curvou de novo. Repetiu a trajectória oval duas vezes, com todo o estacionamento à sua disposição.

- Continua em frente – ordenou Tom – Vai para a estrada

- És louco?

- Vá, vai lá… não vem lá ninguém e tu já aprendeste

Alice apertou o volante com as mãos. Sentia-as suadas. O coração a bater rápido. Perguntou-se a si mesma se seria apenas do facto de estar a conduzir, ou se seria também Tom, e a maneira de ser dele, que até então era desconhecida. Até agora tinha depositado confiança nela como ninguém o havia feito, e sentiu-se grata por isso, por alguém a sentir de uma forma diferente da estrela de cinema frágil que representava.

- Está bem – acabou por dizer.

Apontou a carrinha à saída do parque de estacionamento, e chegada à beira da estrada olhou para ambos os lados e virou o volante, acompanhando com o tronco tal como as crianças. Tom riu.

- O que foi? – Perguntou Alice em pânico.

- Nada! Só…tens piada

- Não gozes comigo! – Gritou ela, nervosa e inocente.

- Pronto… - disse ele, esforçando-se para não rir das expressões concentradas de Alice.

O ponteiro marcava trinta à hora.

- Estou a ir bem?

- Muito bem. Agora podes pôr a terceira.

A estrada continuava com algumas centenas de metros pela frente e Tom aproveitou a proximidade para a olhar com atenção. A maneira como comprimia os lábios brilhantes e mal piscava os olhos de pestanas longas com tanta atenção. Não pode deixar de sorrir, ao se imaginar ali, tão perto de uma rapariga de aspecto tão inatingível. O que Alice aparentava ser, tão altiva e certa de si mesmo reflectia-se exactamente ao contrário. Talvez fosse isso uma boa actriz. E Tom orgulhou-se de ela lhe mostrar a sua outra face, mais pura.

 

 

tags:

publicado por Marii R. às 19:14

link do post | Comenta e o Tom levanta a camisola | favorita-me
|

abdominais:
De ∞ quinn a 12 de Abril de 2010 às 20:26
Hey :)
Não és a única a já estar farta das aulas .__.

Ahh, adorei a aula de condução :DD Também quero aprender a conduzir assim (a)
Adorei este capítulo ^^
Quero mais,
Beijinhos.


De Tommazinha a 12 de Abril de 2010 às 21:26
Hallo!!!
Não me fales em aulas, cada vez que penso nelas -.-
Enfim...
Tédio

Gostei bastante da aula de condução do senhor Tom!
Então quando a Alice ficava super aflita com medo que acontecesse alguma coisa uiii!!! Lindo =P
Eu arriscava a dizer que tu nem precisas de ir às aulas de condução, já sabes tudo rapariga xD
E a aproximação entre este parzinho continua...
Yeiiiiihhhh =D
Quero mais, mais e maiss
Aiiiii Mariana, a tua escrita é viciante!!!

Bjão grande ;)


De Melancia a 12 de Abril de 2010 às 22:05
Olaa! Hoje tb foi o meu primeiro dia de aulas e odiei :(
Ah e eu ja conduzi e descreveste lindamente, é assim mesmo!
Mais uma vez gostei muitooo do capitulo. A maneira como ambos encaram esta amizade é o que a torna mais complexa. Sentem-se ansiosos por conhecer o outro mas ao mesmo tempo nervosos. Ela mostra ser inocente, mas possui um lado desconhecido, um lado que a atrai. E o Tom através desse outro lado dela não so sente se atraido como tb possui a necessidade de a querer conhecer cada vez mais. Ah, e apesar de tdo o isso gosto da maneira como ele a trata, é bastante atencioso.

kuss


De SoniaKaulitz a 13 de Abril de 2010 às 14:18
Olá...Opah eu estou mesmo a gostar disto.....axo que estiveste mto bem a descrever a conduçao ....para quem nao conduz tiveste bem. Mas nao se eludam nao é tao facil quanto isso....lool fizeste-me lembrar a minha primeira aula de conduçao...pena o meu instrutor nao ser taum bom quanto o da Alice ....hehehehhe.
Posta mais pk estou a adorar mezmo.....bjinhos =)


De ztiluak a 13 de Abril de 2010 às 19:36
Nao foste a unica a odiar o pri meiro dia de aulas, estou farta daquilo.

Tambem quero o Tom para me ensinar a conduzir pode ser? xD Que sorte a dela.

posta mais, bjs


De Maria a 9 de Maio de 2010 às 13:02
Olá querida! :)
O Tom ensinou-a a conduzir...ehehehe
Ele acha-a super querida, não lhe é indiferente...e o mesmo se passa com ela!
Amo a Fan Fiction...é super fofinha! *.*
Beijinhos grandes, dear!


Comentar post

Song.

One Republic - Secrets

Download this Mp3 @ Booster MP3

Anteriormente

Feliz Natal

Psychiatrist Me #2

Psychiatrist Me #1

Assusta-me

Arquivo

Votação

Queres a proxima fic baseada na musica:
Alien
World Behind My Wall
That Day
Phantomrider
Attention
Zoom Into Me
In Your Shadow (I Can Shine)
  
pollcode.com free polls
online