Fics

online
Love is not a feeling... It's strength.
Terça-feira, 22 de Dezembro de 2009

34º Capítulo - Espera por Mim

Hey

Licença para matar a Mariana, sim?

Mas digo-vos que se não me matarem tenho uma prenda de natal para vocês :D

Sim, siiiimmm, pois tenho :D!

Mas só dou no dia 24 ok?

Posto no dia 24, desejo feliz natal e dou a prenda :D


Agora... já que estamos de férias vou-me tentar concentrar em acabar a fic. E no vosso presente também.

Agora tenho de ir trabalhar nos meus desenhos que vou dar a mil pessoas no natal --' meu deus... no que eu me meto!


Beijinhos,

Marii K.

 

 

Capítulo 34

Caso particular
 
 
 

            Havia murmúrios. Havia terror. Havia drama. Havia a mais pura e real tristeza.

            Havia amor, acima de tudo.
            Havíamos nós, meu anjo.
 
*
 

            Larguei a mão de Matt e ele enroscou-se na tua mãe, sussurrando perguntas sobre ti.

            - Ela está melhor? – Percebi ser uma das perguntas.

            - Ela acordou…

            A minha garganta apertou, de repente já não conseguia respirar de novo.

            - Ela… – comecei – Ela já –

            - Ela já acordou. – Confirmou a tua mãe – Vai, quarto 79

            Não me lembro de ter respondido. De facto, não me lembro dos meus passos, de tão decididos que eram. Não me lembro das pessoas no corredor. Não sei com encontrei tão rapidamente o caminho para o quarto. Não sei como ainda estava a respirar. Não me sentia vivo. E agora percebo que tudo o que me apagou a memória até chegar ao teu quarto foi a ansiedade. A ansiedade que me separava de ti.

            E quando encontrei o teu rosto mergulhado nos lençóis, queria ser eu deitado naquela cama. Era de novo aquele instinto de protecção, aquela dor que me empurrava para ti, para o teu lugar e para a tua força.

            Agarrei a tua mão e tu olhaste-me finalmente.

            - Desculpa…

            - Não podes pedir desculpa – disse eu com um sorriso – não é tua culpa, pois não?

            - Não
            Engoli em seco e beijei-te os dedos.
            - Devias-me ter dito
            - O quê?

            - Que não é a primeira vez que isto acontece

            Torceste a boca e olhaste para o soro que ia escorrendo para dentro do teu corpo.

            - Não é importante, quando vim diziam-me sempre a mesma coisa.

            - Mas eu merecia saber Charlotte.

            - Não merecias sofrer por isto, preocupares-te – Apertaste a outra mão e olhaste para as veias salientes, depois pegaste nas pontas do teu cabelo, enrolando-o como algodão-doce num pauzinho de madeira.

            - Preocupo-me sempre, e tu não o podes evitar. Devias saber isso… - Parei por uns momentos, e esperava que tu, como sempre preenchesses o silêncio, mas não o fizeste – Disseram-te o mesmo desta vez?

            - Não…

            Apertei a tua mão na minha. Tinha a noção que não queria ouvir o que me tinhas para dizer. Via nos teus olhos que não seria bom, e que a diferença do diagnóstico não seria para melhor. Por isso inspirei fundo, e disse para mim mesmo: Estás aqui. Estás aqui para lutar por ela. E era verdade.

            - Diz-me o que te disseram – pedi

            Os teus olhos mais embaciados, a minha vontade a decrescer, para mim era o apocalipse.

            - Está a evoluir, preciso de transfusões de concentrados de hemácias e plaquetas. Fico cá esta noite e venho 3 vezes por semana, avaliar o estado, para o caso de evoluir. E para já… devem fazer uns testes aos meus pais e irmãos.

            - Porquê?

            - Medula. – No fim tudo se resumia a uma palavra.

            - Eu também faço. – Declarei imediatamente.
            - Bill, por favor tu não…
            Agarrei-te a mão com força.
            - Não vais fazer isso. – Repetiste.
            - Vou, claro que vou.

            Beijei-te a testa e depois os lábios.

            - Bill…

            - Charlotte, não me peças para não o fazer. É só um teste e eu quero mesmo fazê-lo.

            Baixaste os olhos como conformada. Deixaste espaço para entrar no teu coração. Era aquele olhar que fazias quando me davas permissão.

            - Sabes o que dizem, sobre o tempo? – Perguntaste com os olhos a brilhar.

            - O quê?
            - Até aos 20 anos, 30 no máximo.

            Não era verdade. E tu sabias quando o disseste.

            - Essas estatísticas não interessam. Há casos e casos. E tu és um caso particular. Tu tens força Charlotte.

            - E?

            - E tens-me a mim. E eu não te deixo ir, nunca. Eu amo-te mais do que apenas mais um dia, mais uma semana ou mais um ano.

            - O tempo não é suficiente para nós, pois não? – Perguntaste com um sorriso triste.

            E eu não te consegui responder. Porque era verdade e eu não queria admitir, não admiti. Não admito. Há vida depois disto, e tu és um caso particular. És o meu anjo.

 

 

 


publicado por Marii R. às 14:45

link do post | Comenta e o Tom levanta a camisola | favorita-me
|

abdominais:
De SoniaKaulitz a 22 de Dezembro de 2009 às 15:07
OPAH TOU TAUM ZANGADA MARII.......finalmente um capitulo, Omg esta espera MA_TA_ME.....
Inda por cima fazzes-me chorar.....again...T_T
È sempre a mesma coisa qd chega a este ponto das tuas fics há sempre uma lagrima´zinha que n se aguenta e pimba....melhor eu é que nao me agueto.
Opah linda a fic, mezmo mto linda.
Fika bem keridah...bjos e um Natal cheio de saúde, felicidade, amizade e mta paz....Bjinhos


De SoniaKaulitz a 22 de Dezembro de 2009 às 15:10
PRIMEIRA......HUHUHU,....
GOsto tanto de ser a primeira......tive o plivilégio de ser a primeira a ler esta fantástico capitulo....e a 1ª a chorar cm ele....mas o que me anima é que concerteza nao vou ser a unica...lool.
HA eskecime qd puderes e se der posta outro ....please.


De ztiluak a 22 de Dezembro de 2009 às 15:44
finalmente que tenho um capitulo para ler!

adorei este capitulo, compensou o tempo que demoraste, esta mesmo lindo, deu-me vontade de chorar.

posta mais


De Caroll a 22 de Dezembro de 2009 às 16:38
Ela já morreu, ão já?

A forma de como o Bill fala... Ela ja morreu T-T

Acho que me estou a tornar repetitiva, mas a fanfic está simplesmente perfeita.

Amo-te, always and always.


De ∞ quinn a 22 de Dezembro de 2009 às 17:00
Hey :)
o Bill é um amor *--*
Tenho imensa pena da Charlotte =/ Ela tem mesmo de ficar boa
Saudades de ler isto ^^
Beijinhos


De Maria a 22 de Dezembro de 2009 às 17:25
Hi sweety! :)
Ai que saudadinhas...mas o mais importante é que já postaste! :)
A pequena Charlotte está cada vez pior...isso não devia estar escrito no destino dela, ela é tão cheia de energia, cheia de vontade de viver e tudo isso lhe é roubado por uma doença estúpida e sem piedade!
Mas tem o amor e apoio de Bill e todos os seus familiares... ela ficará bem...tem de ficar!
Posta mais, querida!
Beijinhos muito grandes, dear!
:D
PS: Estou curiosa por saber qual é a nossa prendinha! eheheh


De Tommazinha a 22 de Dezembro de 2009 às 18:30
Halloooo!!!!!
Saudadessss...

20 anos? Tadinha :(
Ela não merece, eles não merecem.
E agora? Que lhe vai acontecer? Ela tem mesmo que se curar, por amor de deus!!!
Toda a gente ia sofrer imenso com a sua perda.

Uma prenda?!
Curiosa...

Bjnhooo


De Melancia a 23 de Dezembro de 2009 às 02:13
Hallo! Desculpa n ter comentado o capitulo anterior, n consegui por causa dos testes... E por isso vou juntar ambos os comentarios :)

Bem, amei o capitulo anterior. O que realmente adorei foi a forma como tu criaste uma nova persongem e a fizeste parecer como se ja tivesse aparecido mais vezes. Como se o leitor a ja conhecesse. Está claro que os irmaos dela ja tinham sido mencionados, mas nunca tinham participado na historia em si, e o facto de tu teres introduzido um deles realçou n so a compaixao que se fazia sentir dentro daquele hospital, mas tb nos confirmou a personalidade que tu propria criaste da Charlotte. A personagem dela clarifica-se atraves das tuas descricoes acerca da mesma, mas tb as persongens que envolvem a historia nos ajudam a compreender melhor o seu caracter. Este capitulo esta igualmente lindo! A musica ajuda bastante, isto é, consigo visualizar com mais facilidade cada situacao aqui descrita devido à vivacidade que a musica transmite. Aliás tenho que te dizer que és optima na escolha das musicas! (este "optima" n soou mto bem :s , mas tu percebes). Amo o modo como estruturas os dialogos, todos eles sao sempre estruturados com bastante empenho. Consigo notar a complexidade que todos eles suportam, n consigo excluir nenhum! A força que Bill tem mostrado para com Charlotte é compreensível através dos dialogos que troca com ela, assim como, a força que ela exerce sobre, só que este facto nota se por ser o Bill o narrador! AMO :D

(achas que é muito obvio que esta ém sem duvida a minha fic preferida?)

beijinho *


De Melancia a 23 de Dezembro de 2009 às 02:17
Ah! Esqueci me de dizer isto, estou ansiosaaaa por saber qual é a prenda que nos vais oferecer :D
Desculpa n ter nada para ti :(
Obrigada!

Beijinho


De Katerina K. a 23 de Dezembro de 2009 às 17:33
Apaixonei-me.


Comentar post

Song.

One Republic - Secrets

Download this Mp3 @ Booster MP3

Anteriormente

Feliz Natal

Psychiatrist Me #2

Psychiatrist Me #1

Assusta-me

Arquivo

Votação

Queres a proxima fic baseada na musica:
Alien
World Behind My Wall
That Day
Phantomrider
Attention
Zoom Into Me
In Your Shadow (I Can Shine)
  
pollcode.com free polls
online