Fics

online
Love is not a feeling... It's strength.
Terça-feira, 8 de Dezembro de 2009

33º Capítulo - Espera por Mim

Hey !

Vou contar então a história --'

Na sexta dia 27 a Joana ficou com gripe A e eu comecei com sintomas. Fui fazer o teste e deu negativo, mas era gripe normal que eu tinha e fiquei até dia 3 em casa. Ou seja...faltei aos testes e esta semana estou a ter 5 testes em 4 dias. E ia estudar o fim de semana passado inteiro mas os meus primos vieram para cá...great!--'

Ontem foi Inglês e Matemática, o primeiro correu bem e o outro pessimamente.

Amanhã é de Português, e como a minha turma já fez teste eu vou ter de ficar na minha tarde livre (amanhã) a fazer teste de Português, quando supostamente tenho de estudar para o teste de Geometria na quinta. E sexta tenho teste de Desenho.

Óptimo não é?

Maravilhosamente escrevi um capítulo, porque estou a entrar em stress contínuo...e escrever faz-me bem. Enfim --'

Peço desculpa outra vez pela demora, mas como viram, isto anda impossível.

Façam o meu TommyKey crescer :D ele já cresceu um bocadinho ^^

E eu gosto do capítulo, apesar de achar que nao tem nada de especial --'


LY all, Beijinhos,

Marii K.


 

Capítulo 33

Comparável
 
 

            Custava-me tanto a respirar como a ti. Era o meu interior que se afastava de mim, deixava-me sozinho, impotente, num deserto de dor. E onde estavas tu? Tu que eras o meu oásis, um porto seguro onde me podia deixar ir. Eras um poço sem fim onde eu sabia que nunca me iria perder.

O teu coração a bater nas minhas mãos quando te deixei ir pelos corredores sem cor. Era apenas movimento que se gerava à minha volta, e eu não fazia parte dele. Queria fazer para te ajudar, para correr pelos corredores mórbidos do hospital e dar-te vida. Dar-te a vida que já é tua. A minha vida é tua. É ti que pertence, e foste tu que a tiraste. E havia tantas coisas que queria dizer-te, tantas coisas que tu não sabias e tantas coisas que tu tinhas para me ensinar meu anjo.

Nunca baixei os olhos, pois isso significava desistir de ti. E eu nunca o fiz, nunca o farei. Luto para ir ter contigo onde estejas, luto para te ter para sempre, como mereço, como tu mereces e como nós deveríamos estar. Juntos.

 

Fechei os olhos por um segundo. E sabia que não ia chorar. Tu não gostas de me ver chorar, de me ver desesperar por ti. Mas és demasiado importante para não o fazer, para deixar de sentir medo de te perder.

Senti uma mão na minha e rapidamente abri os olhos.

- Bill, não é?

Assenti com a cabeça à mulher de cabelos e olhos negros. Tinha uma criança no colo.

- Ela fala de ti.

Parei durante uns momentos, olhei para a mulher, para a criança, e quando esta abriu os olhos e mostrou uma fantástica tonalidade cinza na íris, sorri.

- Olá Matt. – Sorri para o teu pequeno irmão, que me sorriu de novo.

- A Charlotte bem tinha dito que o teu cabelo era uma esfregona.

Não pude deixar de sorrir, por mais que a tua situação me puxasse para baixo, estava ali com os olhos iguais aos teus pregados em mim, um sorriso infantil. Tudo me fazia lembrar os teus movimentos.

- O que é que ela tem? – Perguntou-me mais sério.

Olhei nos seus olhos e consegui ver uma preocupação tão genuína que me doeu. Doeu-me encontrar uma dor como a minha. Uma dor incondicional de te perder. Reconfortei-o porque era o que mais desejava neste momento. Alguém que me agarrasse, que não me deixasse bater tão fundo.

- Ela sentiu-se mal lá no concerto. Sabes, se calhar foi do calor…

A tua mãe sorriu-me, passou a mão pelo cabelo de Matt que continuava com uma expressão confusa.

- E tu não te sentiste mal?

- Não. Mas já viste que sou maior que a tua irmã? Ela é mais pequena, ficou pior que eu.

- Pois é…

Olhou em redor e desligou um pouco da conversa. Vi que ficou um pouco melhor. Mas o que se pode fazer à preocupação de um irmão? Ela não foge, ela fica…para sempre.

- Quando podemos ver a mana? – Sussurrou ao ouvido da mãe.

- Quando os médicos chamarem Matt…

Ele suspirou. Saltou do colo da mãe e sentou-se no banco, muito direito e com as pernas a baloiçar.

- Tenho fome… - Queixou-se.

- Já comemos alguma coisa quando os doutores disserem alguma coisa.

- Mas eles demoram sempre tanto tempo!

Percebi então que isto não tinha sido uma primeira vez. Que havia muitas mais vezes em que ocorria uma fraqueza, mas tu não falavas, não me dizias nada. Abanei a cabeça, desiludido e senti o olhar de Matt em mim.

- Eu posso ir com ele buscar qualquer coisa – ofereci.

- Oh, isso era óptimo Bill! – A tua mãe sorriu por entre a preocupação e agarrou na mala para tirar a carteira, mas recusei-a. Peguei na mão de Matt e procurámos o bar por entre os corredores quase vazios do hospital.

E não sei porquê, lembrei-me de Allison. Apercebi-me que tudo isto que me estava a acontecer, nunca seria possível com ela. Não pela doença, mas por toda a calma que estava a viver no meio do nervosismo. A tua família era calma. Tinha na palma da minha mão, uma mão muito mais pequena que tremia, que se encontrava tão quente e macia. E soube que se fosse a família de Allison nem aguentaria estar ali, junto do seu pai ou da sua mãe, da sua avó detestável. Contigo era diferente, era tudo tão mais calmo mesmo quando as coisas eram difíceis, eram injustas e impossíveis de aceitar.

Para mim, estavam a cometer um erro enorme ao deterem-te ali. O destino não sabia o que fazia, não sabia quem estava a condenar, quem estava a deixar à mercê de um horrível precipício. Não sabiam que ao condenar-te, estavam a condenar um anjo. O meu anjo.

- Isto aconteceu muitas vezes Matt, virem para cá com a Charlotte?

- Ela ultimamente deita muito sangue do nariz… - observou ele. – Ela deitou sangue do nariz esta vez?

- Só um bocadinho… - Respondi-lhe enquanto os meus passos eram mais lentos para ele acompanhar.

Ambos suspirámos. Ambos sabíamos que não era justo tirarem-te do mundo assim. Tiravam-nos uma parte de nós. E eu sabia que nunca mais me sentiria vivo.

Porque era verdade e o destino não sabia. Não sabia que estava a condenar um anjo.

           

 


publicado por Marii R. às 10:40

link do post | Comenta e o Tom levanta a camisola | favorita-me
|

abdominais:
De ∞ quinn a 8 de Dezembro de 2009 às 12:59
Hey :)
Não gosto de o ver assim tão triste :/ Ela tem de melhor rápido
Quero mais :D
Boa sorte para os testes :)
Beijinhos


De Caroll a 8 de Dezembro de 2009 às 15:17
Oh, minha pequenina...

Vais ver que sexta à noite ja acabou isso tudo e depois é só receber =)
Já viste? É só mais esta semana e depois a escola acaba *--*
E... eu gostava de falar contigo sobre uma coisinha, que nao sei se vai dar, mas eu AMAVA.
Acho que agora as saudades que sinto por ti vão ser sempre permanentes, mas... é isto que torna cada conversa ainda melhor, não é?

Quanto à fanfic:
Estou sem palavras, literalmente.
Eu nao quero que ela morra. Mas por outro quero. Não sei, não sei >.<

Amo-te @


De Maria a 8 de Dezembro de 2009 às 16:46
Hi sweety! :)
A mãe de Charlotte é muito simpática e gostou do Bill...e o Matt é um amor de menino. Preocupado com a maninha e pelos vistos também gostou do Bill...o Bill sim é que gostou da família da sua amada! São simpáticos e unidos!
Espero que a Charlotte fique boa depressa!

Boa sorte com os restantes testes, querida! Espero que tenhas uma boa nota em todos que já fizeste e farás!
Posta mais!
Beijinhos muito grandes, dear!
:D


De Tommazinha a 8 de Dezembro de 2009 às 18:45
Hallo!!!

Amei este capítulo *.*
Dos meus preferidos, sem dúvida!!!!
Adorei tanto a inocência do irmão da Charlotte, a descrição dos sentimentos do Bill e da restante família, de tudo mesmo...
Goddd, estou totalmente viciada xD
Maissss

Vais ver que a semana passa num instante! Muito boa sorte para os testes ;)

Bjnhoss grandes


De Joanne a 8 de Dezembro de 2009 às 22:16
Eu queria escrever um comentário todo bonitinho, como há muito não faço, mas não me sai nada, é escusado.
Esta fanfic é perfeita, o teu talento é indiscutivel e eu vou andar sempre aqui metida no teu blog! A sério, esta história é linda !

Beijinhos *


De SoniaKaulitz a 9 de Dezembro de 2009 às 14:30
OMG *.* está lindo T_T ...
Quero mais ....por favor n me fikes semanas inteiras sem postar que eu desespero...mas Ok eu sei que o tempo é mto pouco.
Bjos fika bem.


De ztiluak a 9 de Dezembro de 2009 às 15:25
nao gosto de ver o Bill assim!

o irmao dela e tao fofinho *:*, e o Bill e msm querido para ele!

boa sorte para os testes :)


De pαtrýciαtk. ♥ a 21 de Dezembro de 2009 às 14:58
Oláá :D
Eu sou a Kii’ e estou a fazer um passatempo aos 2 meses do meu blog ^^’
Se quiseres participar vai a http://patricia_taylor.blogs.sapo.pt/ e participa +.+’
Tens lá todas as regras ;D
Fico à espera e Boa Sorte @

Beijinhos #


De Juaaniinhaa_Kaauliitz a 7 de Janeiro de 2010 às 19:03
Olaa Olaa!!

Coitado do pequeno Matt!!! :'(

Espero que ela fique bem!!

volto ja

jokinhas grandes =)*


Comentar post

Song.

One Republic - Secrets

Download this Mp3 @ Booster MP3

Anteriormente

Feliz Natal

Psychiatrist Me #2

Psychiatrist Me #1

Assusta-me

Arquivo

Votação

Queres a proxima fic baseada na musica:
Alien
World Behind My Wall
That Day
Phantomrider
Attention
Zoom Into Me
In Your Shadow (I Can Shine)
  
pollcode.com free polls
online