Fics

online
Love is not a feeling... It's strength.
Quarta-feira, 11 de Novembro de 2009

30º Capítulo - Espera por Mim

Hey (=

Hoje é feriado cááá aweee :D

E descobri uma coisa super interessante :O

Estava a furar umas estrelinhas com uma agulha quente e estava com as mãos todas sujas de preto. Quando fui ter com a minha mãe ela desatou-se a rir porque também tinha o nariz todo preto. E eu a pensar: "Ah, então mas eu nem toquei no nariz" E a senhora mãe: "Tu estás sempre a tocar no nariz, passas o dedo do lado direito, como se coçasses."

Ou seja... inconscientemente pus um tique à Charlotte que EU tenho. Achei chocante xD e tipo..freakyyy o.O

Mas pronto xD


Obrigada pelos comentários, são poucos, mas bons ;D


Beijinhos,

Marii K.

 

 

Capítulo 30

Recuperar
 

Espero por anos e anos. Nunca me correspondes. Nunca me sentes de volta, nunca me olhas, nem nunca me tocas. Mas eu continuo a sentir tudo, e a ter-te para mim.

Enquanto tudo o que posso fazer é esperar, eu sinto-te em todos os cantos do mundo.

 
*
 

Saíste mais rápido do carro que eu. Apertaste o casaco e esperaste em frente à porta que eu a abrisse. E quando entraste dentro de casa percorreste tudo com os olhos e sorriste.

- Esquisito – Disseste passado uns segundos.
- O quê?
- Tu não cheiras à tua casa.

Sorri e beijei-te o rosto, puxando-te pelas escadas.

- Cheiro a ti.

- Ainda não… Ainda devias cheirar como tudo aqui. Não passas muito tempo em casa? – Percorrias o corredor com interesse até passares por uma porta encostada e parares em frente dela.

Eu mal reparei no teu interesse, continuei a falar.

- Passo muito tempo no quarto, porque –

Vi-te empurrar a porta do quarto do Tom com um sorriso.

- Olá – Disseste alegremente, mas eu não me atrevia a aproximar-me de ti.

Não ouvi resposta do quarto dele e por momentos acho que congelei. Pensei se aconteceria o mesmo contigo que aconteceu com Allison, e rapidamente cheguei à conclusão que talvez fosse ainda pior. Tu precisavas de mais atenção do que Allison, afinal estávamos no início de tudo, tu estavas doente e tão mais presente em tudo. Mas por outro lado, tentavas conectar com tudo o que era meu, os cheiros e os cantos da casa, anteriormente os cigarros e agora ias falar com Tom, quando sempre te mostraras interessada na nossa relação de gémeos. Talvez fosse diferente por tu também teres irmãos, por tu saberes que existe de facto uma forte ligação que Allison desconhecia. Mas agora sei que tudo isso influenciou, mas o mais importante eras tu. Era de ti, da tua maneira, da tua magia, da tua forma angelical de veres e fazeres as coisas que sabias que eu precisava tanto dele como de ti.

- Podes dizer-me onde é a casa de banho?
- Esquerda – ouvi murmurar.

- Obrigada. Sou a Charlotte, vim agora com o teu irmão. Não andas lá na nossa escola pois não?

“Como se ele passasse despercebido” pensei num suspiro, enquanto a observava entrar para dentro do quarto. Aproximei-me para ouvir melhor.

-Tom. Não, eu ando numa escola pública. – Ele disse. Já não murmurava, falava numa voz normal que nestes últimos anos só o ouvia falar para a minha mãe ou o Gordon quando eu não estava presente.

- Eu sei. Eu e o Bill vamos sair agora, não queres vir?

Seguiu-se um momento de silêncio. E eu sabia perfeitamente com que expressões estavam cada um. Tom olhava-a frontalmente, com os lábios comprimidos e Charlotte com um simples olhar de curiosidade, parecendo ler toda a gente.

- Não, deixa estar… Eu prefiro ficar por aqui, tenho de… tenho umas coisas para fazer. Mas obrigado.

- Hum… de nada.

Afastei-me mais da porta assim que ouvi passos, mas vi-te sair sozinha com um olhar determinado.

- Porque é que ainda não tens o casaco? – Perguntaste com uma expressão confusa.

Não respondi e puxei-te para longe do quarto dele.

- Não devias ter ido lá. E porque foste perguntar onde era a casa de banho?

- Porque queria falar com ele. E tu também o devias fazer, ele é simpático. – Paraste por um momento – E giro também, é mesmo parecido contigo.

- Ele não tem nada a ver comigo – retorqui rapidamente.
            - Têm os mesmos olhos.
            - E então?

            - Então nada. Olha, eu vou à casa de banho. Vai buscar o casaco e podes ir andando para baixo, eu não demoro.

            Deixei-te ir. Encolhi os ombros e por momentos ignorei tudo o que tinhas dito. Estava focado no sítio onde te havia de levar. E quando desci as escadas e parei no último degrau para esperar por ti, nunca imaginei na imagem que se seguia.

            Tom descia as escadas atrás de ti, enquanto explicava o curso de vídeo que frequentava. Não lhe decifrava nada na cara. Não havia ódio nem medo. Não havia dor nem rancor. Não havia incompreensão, nem confusão. Sorriu com algo que lhe disseste e eu por momentos senti-me egoísta. Quis que aquele sorriso fosse para mim, que toda aquela falta de ódio fosse minha. Queria um começo com ele como tu estavas a ter. Queria conhecê-lo de novo e poder começar do zero. Queria voltar atrás.

            - Vamos? – Perguntaste entrelaçando os teus dedos pequenos nos meus.

            - Hum hum…

            - Ela faz anos e não lhe compraste uma prenda Bill? – Tom dirigiu-se a mim com um olhar curioso e eu nem lhe consegui responder. Gostava de saber o que lhe tinhas dito para ele ter vindo connosco, além de dizeres que era o teu aniversário.

            Percebi que não queria uma resposta, dirigiu-se para o carro e sentou-se atrás, enquanto mexia no telemóvel.

            Queria saber com que estava a falar, queria saber mais sobre o seu curso, sobre a roupa nova que tinha vestida, sobre a história daquele penso no dedo indicador, sobre o sorriso que ostentava quando entrava distraído no quarto.

Queria recuperar os anos que tinha perdido. E nada me deu mais esperança do que a tua mão sobre a minha enquanto lhe falavas animadamente dos teus irmãos. Ele respondia-te e falava-te tão normalmente como me falava a mim nos anos em que ainda me sentia seu irmão. Queria sê-lo de novo.

 

 


publicado por Marii R. às 19:10

link do post | Comenta e o Tom levanta a camisola | favorita-me
|

abdominais:
De Neneh a 11 de Novembro de 2009 às 20:20
Olá!

Capitulo perfect *.*
Escreves tããão bem *.*
Amei *.*

Muitos beijinhos.


De ztiluak a 11 de Novembro de 2009 às 22:00
lindo *_*

o tom e o Bill tambem se podiam começar a falar...

posta mais


De Joanne a 11 de Novembro de 2009 às 23:11
Ai não comentei o outro, nem reparei que tinhas postado, desculpa :/ Sou uma desnaturada.
Adorei o capítulo, como sempre! A Charlotte tem uma aura qualquer, é ela que vai fazer com que o Tom e o Bill voltem a ter uma realção de verdadeiros irmãos. A sério, adorei nesse sentido!

Posta mais ^^
Beijinhos


De Melancia a 12 de Novembro de 2009 às 18:55
Amei amei amei! Ha muito que esperava por este capitulo. Alias ja tinha dito que adoroooo o facto de teres introduzido a personagem de Tom! O modo como escolheste encaixar a reconciliação da relacao deles foi lindaaa. Embora, tenha sido encaixada de uma forma indirecta, o capitulo evidencia que a personagem do Bill ja quase n sente o vazio que ha tanto o perturbava. Tal como ele, taambem a personagem do Tom demonstrou sentir um aperto no coração quando reconheceu que é possivel o irmao mudar, ou mesmo ele. Em geral, tenho que dizer que ameii a personagem da Charlotte, mostrou ser bastante humana quanto a tudo! Continua :D
(ah e parti me a rir com a historia do tique lolol)

kuss


De ∞ quinn a 12 de Novembro de 2009 às 19:39
Hey :)
A Charlotte é tão querida, ela está mesmo determinada em juntar os gémeos +__+ E o Tom até já dirigiu a palavra ao Bill :D
Quero mais :DD
Beijinhos


De SoniaKaulitz a 13 de Novembro de 2009 às 14:35
olaaaa.....bem tu sobes que eu adoro esta fic, tenho adorado cada capitulo que tens postado mas este....este arrebentou com td foi "Brutaloid"HEHEHE.
BEm eu na minha mera opiniao este capitulo esta perfeito, lindo e queria mesmo ler mais um ... portanto posta~lá.
Beijinhos e fika bem...bjinhos


De Maria a 14 de Novembro de 2009 às 15:37
Hi sweety! :)
Este é sem dúvida um dos meus capítulos preferidos! A Charlotte é uma óptima rapariga e o Tom parece gostar dela e pode ser que ela faça com que os gémeos se voltem a dar como antigamente! :P
Gosto imenso da maneira de ser de Charlotte, e ela vai ajudar o Bill a ter uma vida mais alegre, uma vida melhor...e a voltar a ser o Bill que era antes de conhecer a Allison!
Posta mais, querida!
Beijinhos muito grandes, dear!
:D


De Tommazinha a 15 de Novembro de 2009 às 18:41
Tinha que ser a Charlotte a juntar os dois gémeos...
Vamos ver se é desta que eles fazem as pazes e são verdadeiros irmãos porque eu não consigo ver estes maninhos separados.
Gosto imenso da Charlotte, acho que a personagem está muito bem conseguida a sério! E de certa forma até me identifico com ela, talvez seja por isso que gosto tanto dela...

Maisssssssss

Bjnhooo


De SoniaKaulitz a 17 de Novembro de 2009 às 15:09
Olá.....tipo venho ca milhentas vezes e ainda n ha poste novo =(.
So te desculpo se n postares por falta de tempo...agra se viéres com ahistória da falta de inspiraçao e nao sei ke tas feita...lool. Bjinhos assim que puderes posta, ou ja te eskeçeste de nós?
=(


De Juh_Kaulitz_und_Fary_Jane a 22 de Novembro de 2009 às 14:05
Olaa Olaa

Desculpa andar um bocado desaparecida mas a escola quase que n me deixa tempo live!!

Mas agora comentaod o capitulo:

Fogo como é que a Carlotte conseguiu chegar tão depressa ao Tom??

Será que os irmão vão finalmente vooltar a dar-se bem?

Espero bem que sim!!

volto ja1


Comentar post

Song.

One Republic - Secrets

Download this Mp3 @ Booster MP3

Anteriormente

Feliz Natal

Psychiatrist Me #2

Psychiatrist Me #1

Assusta-me

Arquivo

Votação

Queres a proxima fic baseada na musica:
Alien
World Behind My Wall
That Day
Phantomrider
Attention
Zoom Into Me
In Your Shadow (I Can Shine)
  
pollcode.com free polls
online