Fics

online
Love is not a feeling... It's strength.
Quarta-feira, 26 de Agosto de 2009

37º Capítulo - Odeio-te a Ti - Último

 

Hey
Vocês cada vez se esmeram mais com o comentários *.* HAPPY HAPPY!
Mas vá… tenho de admitir que tanto quanto vocês estou triste por esta fic acabar. Houve uma altura no meio em que não me apetecia mesmo nada continuar, tanto pelos comentários como sei lá… já não era a mesma coisa para mim. Mas depois as coisas mudaram, nem sei bem porquê.
Foi a minha maior fic e acho que tinha melhor estrutura do que as outras, ou seja… acho que devo ter vindo a melhorar na escrita, acho eu.
Gosto mais do penúltimo capítulo do que deste, pelo poema que ainda bem que gostaram =). E isto é apenas mesmo para concluir e explicar tudo, lá com as reflexões tão típicas minhas… se alguma vez acharem que são demasiadas digam xD.
Quanto à nova fic: Já postei aqui um adiantamento sobre as personagens e blabla, mas volto a dizer umas coisinhas para quem não se lembra:
Nome: Espera por Mim
Personagem principal: Bill Kaulitz
Escrita: Dirigida. Drama/romance [ Mesmo à la Mariana Rebelo (x ]
Frase: Descobres a essência. Descobres um anjo. E esperas.
Só vai ser postada dia 28 ou 29.
                Alright’s? ;D Espero não desiludir… Mesmo.
Até dedicava o capítulo com uma lista das leitoras não fantasmas…mas não tenho net para ler os nomes todos e tenho medo de me esquecer de alguém. Mas vocês sabem quem são! u.u
E… vou ver se me calo ;D
 
P.S.: Comentem todas este último please!
 
Beijinhos,
Marii K.
 
Trinta e Sete
Paraíso no Inferno
 
 
 
Devias encarar como engraçado quando não sabes se estás no fim o no início. Devias aceitá-lo e pensar no que torna esta possibilidade especial.
Se estiveres no início, tens tudo à tua disposição para te tornares uma pessoa diferente. Para ignorares o facto de teres magoado alguém, de teres errado numa escolha de carreira, de teres fugido de casa, ou de não teres nenhum amigo, até mesmo de teres assassinado alguma pessoa. Podes arranjar tudo de novo de maneira a que ponhas para outro lado a culpa. Mas não esqueças quem foste, pois não deves voltar a cometer esses erros. Deve ser uma lição, e uma nova oportunidade, que não é dada a todos. És um num milhão. Foste escolhido para melhorar algo. Se tens uma segunda fuga, aproveita-a e sente-a.
Se estás no fim, encara como a dor final. Não volta a acontecer. Vais finalmente esquecer tudo para partires para algo melhor. Não tens culpa no coração, não tens nada que te prenda. És sábio, chegaste ao fim. É questão de parabéns. Não há batotas, não há novas oportunidades. Existes tu e a tua mente. Tu e a tua luta contra a culpa. Se chegaste ao fim, mereces tudo, mereces o paraíso…o que quer que ele seja… É teu.
 
- Como sabias?
Megan virou a cabeça para Bill que se encontrava no lado direito. Ela acariciava a mão de Tom, sempre na sua.
Lembrara-se do modo como Bill os esperava, sentado no banco do carro há dois dias. Devia ter passado só uma hora sozinho, esperando que eles fizessem as pazes, e não se mostrou surpreendido quando os viu entrar no carro com o saco no ombro e a mão de Tom em volta da cintura de Megan.
- Nem te respondo a isso… vocês são tão teimosos como previsíveis. – Suspirou e agarrou na revista de bordo, folheando-a com indiferença.
Tinham vendido os dois carros visto que não os utilizariam mais e iriam precisar do dinheiro. O senhor do parque de viaturas que encontraram, só recebia clientes quase de mês a mês, tal era a localização longínqua e solitária em que se encontrava o stand. Era um homem velho e de mau aspecto, que logo se apercebeu que três jovens com carros praticamente novos não estariam ali por bons motivos. Quando foi a hora de lhes dar o valor do carro, trouxe consigo um bloco de falsas identificações que foram dadas em vez de o dinheiro de um carro. Bill sorriu com a ideia de alguém lhe dar um ar de menino rebelde e não se calara durante toda a viagem de comboio até ao aeroporto do sul da Alemanha. Foi uma das poucas alturas em que sorriu. Pois a sua mente martelava incessantemente no nome Madeleine, Madeleine, e Madeleine.
Tom e Megan logo se aperceberam da situação, e levaram a frase de “venham ter comigo quando pensarem noutras pessoas que não vocês próprios” mais a peito. Chegou a um novo sentido quando os seus assuntos amorosos estavam arrumados, e pensaram realmente na solidão de Bill em deixar Madeleine para trás.
Quando resolveram então perguntar, comoveram-se com a lealdade do irmão e melhor amigo, apesar das suas questões serem perfeitamente plausíveis. Bill havia explicado que Madeleine se opusera a pensar que tudo não passara de uma inconsciência, e Bill não lhe podia atribuir mais razão. Afinal era o pai dela que estava morto, pela mão do irmão do seu próprio namorado. Não pensara duas vezes antes de atravessar a via rápida e se dirigir à judiciária para contar tudo o que tinha visto. Mas Bill pedira-lhe, por tudo o que ambos tinham passado, por todo o amor que sentiam, que lhes desse uma margem de fuga e que apenas os denunciasse dois ou três dias depois, para pelo menos o deixar livre a ele de ver o irmão na cadeia. E Madeleine concordou, apenas sobre a hipótese de não se voltarem a ver em qualquer circunstância. De qualquer maneira, a bomba de a filha de Brenda Thompson ser considerada suspeita, foi lançada horas depois, por Madeleine que violara o acordo. Ela não era capaz de o ver da maneira como o via anteriormente. E ele também não aguentava ver no rosto dela, a mulher que denunciara o seu irmão e a sua melhor amiga por um erro adolescente e inconsciente. Nem ele se imaginava assim tão aberto a esta questões, mas ele não podia pensar de outra maneira. Era o seu irmão gémeo, sangue do seu sangue. E uma insubstituível amiga de infância que não podia ter outro nome senão, também irmã; ainda que não fosse de sangue, era assim que se identificava no seu coração.
Deixara o seu amor para trás por eles, mas também por si. Ele não a aguentava, apesar de a amar. Mas chorava em silêncio, por uma vida quebrada, por um amor falhado que não cabia dentro de si. Era uma falha que nunca iria ser reparada ou esquecida. Serviria para aprender algo, ainda não sabia ele o quê, mas iria descobrir. Acreditava que sofríamos para aprender. E temos de acreditar em nós mesmos.
 
Tom tornara Megan sua para sempre. Não precisava de aliança, nem de prova escrita. Era algo deles, e uma certeza de que nada os iria separar, porque não haveria nada pior do que eles tinham lidado no seu jovem amor, e nos anos que viveram juntos desde o berço. Amavam-se desde criança e nem o ódio os conseguiu separar. Eram Tom e Megan, Megan e Tom. Uma mistura que ninguém pode separar. Com uma composição tão igual como duas gotas de água. Eram o ar que respiravam, eram a brisa marítima e um riso de brincadeiras de infância, eram o brilho das estrelas, eram o lugar que pertencia a cada um. Eram o ódio e o amor fundido. Ninguém alcançava.
 
“-Cheguei primeiro! – gritaram em coro as três crianças.
- Não! – Gritou Tom – Eu, eu chego sempre primeiro.
- Tens sempre a mania que fazes melhor porque és rapaz! Eu corro tanto como tu! – Respondeu Megan, olhando-o irritada.
- Chegámos ao mesmo tempo! – Rematou Bill, atirando-se para a água do rio. – Deixem-se disso, ganhamos sempre os três.
Acabaram por se empurrar para a água e Mega puxou as rastas de Tom, provocante.
- Admite que corro mais que tu! Admite!!!! – Gritava enquanto lhe saltava para cima e puxava as rastas com mais força.
- Pronto! Corres mais do que eu! – Acabou por dizer, massajando a cabeça.
- Lindo Tom! – Beijou a face do rapaz deixando-a com um rubor.
Bill guinchou: - Vocês vão casar! - E saltitou de felicidade.”
 
- Isto é o início ou o fim Tom? – Perguntou Megan com a cabeça apoiada no ombro dele.
- Ambos? – Inquiriu ele, acariciando-lhe o rosto.
- Chegámos! Eu cheguei primeiro, estou do lado direito do canal! – Gritou Bill, acordando a passageira do lado. – Porra Panamá é grande…
- Chegámos ao mesmo tempo - tranquilizou Tom.
- Calem-se – Opinou imediatamente Megan. – Isto é o início, não é o fim da corrida.
Apertou a mão dos irmãos nas suas e suspirou.
Era o início, era o paraíso que eles mereciam…neste mundo de Inferno.
E tudo o que lhes tinha levado a esse Paraíso, foi a verdade. Porque há alturas em que a verdade é tudo o que tens de dizer. E outras em que é o melhor. E outras, em que dói, mas é no entanto…o correcto. Neste caso era a junção de todos. Era a necessidade, a obrigação, o correcto e o errado, e tudo o que tens de libertar do coração.
Não podiam fazer outra coisa senão ficar os três juntos, porque se amavam. Sem barreiras e com o ódio à mistura que tornava tudo muito mais forte.
 
FIM
 
 
 
I'm: electric :D
Song: Pain of Love

publicado por Marii R. às 18:31

link do post | Comenta e o Tom levanta a camisola | favorita-me
|

abdominais:
De Ritiik a 26 de Agosto de 2009 às 19:13
Olá 8)
WTF? Ö
Eu adoreeeeeeei este capitulo, está fantástico e maravilho hehe
Eles ficaram juntos, os três!! :p
A Madeleine foi... estupida (?), mas eu acho que faria o mesmo :/
Anyway ... eu quero a proxima fic la'la'la'
Beijinho *


De ztiluak a 26 de Agosto de 2009 às 19:23
fico triste por esta fic acabar mas tammbem queria saber como acabava! Este capitulo esta muito bem escrito, a primeira parte em especial eu adorei mesmo *.*. Ainda bem que eles ficaram os tres juntos e quem sabe e o Bill nao arranjaria por ali uma namorada.

posta a proxima fic rapido pff


De a 26 de Agosto de 2009 às 19:35
Hey :D
A Madeleine podia ter comprido o seu acordo com o Bill, essa atitude dela deve de o ter magoado muito =/
"Eram Tom e Megan, Megan e Tom. Uma mistura que ninguém pode separar. Com uma composição tão igual como duas gotas de água. Eram o ar que respiravam, eram a brisa marítima e um riso de brincadeiras de infância, eram o brilho das estrelas, eram o lugar que pertencia a cada um. Eram o ódio e o amor fundido. Ninguém alcançava." Esta parte está tão linda *----* Disseste tudo o que se passou/passa com eles *----*
Amei tanto esta fic, foi tão diferente das outras, mas sempre com o teu toque pessoal, que é super especial :D
Adoro a maneira como escreves mesmo, não, eu AMO a maneira como escreves! :DD

Espero, desejosamente, pela nova fic :DD
Muitos Beijinhos :)


De Helena Manson a 26 de Agosto de 2009 às 20:54
Oh, tadinho do Tom. Deve de deixar a Madeleine.
Adorei o final, omg *-*
Posta a nova fic rápido ;DDD

Beijinhos (:


De Helena Manson a 26 de Agosto de 2009 às 20:54
Do Tom não, do Bill xDD


De Maria a 26 de Agosto de 2009 às 21:01
Hi sweety! x)

Sinceramente acho que só existe uma palavra que descreve este último capítulo e a palavra é: PERFEITO! Ficaram juntos e isso é o mais importante! Livraram-se da prisão e agora poderão iniciar uma nova vida, talvez melhor, não sei, mas estão felizes! :D
Amei tudo!

E agora quero a próxima Fan Fic depressinha, porque estou mortinha por ler coisinhas sobre o Bill! :P
Beijocas muito grandes, dear!~
:D


De Joanne a 26 de Agosto de 2009 às 21:03
Oh agora é aquela parte em que eu quero exprimir o que senti ao ler isto, mas que não vou conseguir. Nem sei por onde começar. Talve seja melhor começar com: Este capítulo foi o melhor de todos (a cada capítulo que passava eu dizia sempre o mesmo xD), que eu amo a tua escrita, e isto não podia ser mais PERFEITO ;_;
Todos os pedacinhos desta fic fazem sentido, mesmo aquela pequenas coisas que nos passam, depois no final tu consegues encaixar tudo, e tchanan, ficamos sem palavras. Adorei tudo, desde os diálogos, as reflexões, os sentimentos que transmites com simples palavras, enfim, tudo!
Tu estás realmente de PARABÉNS, mais uma vez :D És a melhor, e não há mas conversa pronto xD

Beijinho, e venha a próxima fic *


De Tommazinha a 27 de Agosto de 2009 às 00:02
Hallo!!!
Ohhhhhhhhhhhh, acabou =(
Amei tanto, mas amei tanto, mas amei mesmo tanto!!! Gostei particularmente das tuas reflexões, são tão lindas e ao mesmo tempo tão reais.
Tenho que dizer que esta fic foi sem dúvida a que mais gostei de todas as que já escreveste ( atenção as outras também estavam espectacularmente espectaculares xD), mas esta não sei... a tua escrita está a melhorar sem dúvida, mas a história em si foi tão perfeita!!!
Mas prontos, acabou e acabou mais que bem =D
Agora que venha a outra. Estarei cá para a ler, como sempre ;)

Bjão enorme


De Melancia a 27 de Agosto de 2009 às 14:07
AMEI, a fic esta lindaaaa! Toda a fic transporta consigo emocoes de diferente caracter, e penso que foi na descricao dessas emocoes que a fic se baseou. Amei cada personagem, tinha a sua personalidade explicita, cada uma contribuiu para o desenrolar da historia. Alias a mesma suporta consigo ideias que revelam o realismo que aqui depositaste. As drogas, a traicao, o amor adolescente, a cumplicidade e inocencia que tres criancas perderam, as banalidades dos amigos...foram tudo ideias que usaste para demonstrar o caracter de cada personagem. No entanto, penso que nesta fic tu usaste mais as personagens para transmitir essas mesmas ideias. A Megan representava a fragilidade que o arrependimento oferece, o Tom a inseguranca que o amor oferece, o Bill a saudade e o valor que uma amizade oferece e a Madeleine a inocencia que um pai deposita na filha. Aprendi muitooooooo com esta fic. O final possui informacao especifica que nunca me vou esquecer. O modo metaforico como tu o estruturaste realca a moral da fic. O odio e o amor sao sentimentos que ficarao unicdos para sempre, porque sem um o outro n existe. Amei a cena final, a contradicao que tu fazes acerca do inferno e do paraiso, do fim e do inicio realca a ideia principal da fic. Os tres viveram num mundo onde n lhes foi possivel ser eles proprios, hoje foi lhes oferecida uma alternativa a vida e ele apenas a proveitaram! AMEI Marii :D

Obrigada por tudo!


De SoniaKaulitz a 27 de Agosto de 2009 às 15:28
T_T Ca estao as lágrimas da praxe ......opah que lindo, o capitulo esta realmente fantastico, cheio de emoçoes sentimentos sei lá, so sei enquanto li n desviei os olhos um unico milimetro, pke ke o que escreves se torna viciante para mim? Estas cada vez melhor....n me canço nunca de ler o que escreves. Nao vou dizer que esta fic foi especial, porque todas as que escreveste o foram, mas foi diferente, ja me estou a ver daqui por uns tempos a lela de novo...como costumo fazer com algumas das tuas fics.
Adorei, posta depressa a nova fic porque tenho a certeza que me vou viciar, es fantástica...hum...axo que ja te disse isto umas......5000 vezes?
küss


De Anne a 28 de Agosto de 2009 às 17:39
adoreiiiiiiiiiiiiiiii
:( a fic acabouu
mas to ansiosa pra ler a proxima !!!


Comentar post

Song.

One Republic - Secrets

Download this Mp3 @ Booster MP3

Anteriormente

Feliz Natal

Psychiatrist Me #2

Psychiatrist Me #1

Assusta-me

Arquivo

Votação

Queres a proxima fic baseada na musica:
Alien
World Behind My Wall
That Day
Phantomrider
Attention
Zoom Into Me
In Your Shadow (I Can Shine)
  
pollcode.com free polls
online