Fics

online
Love is not a feeling... It's strength.
Domingo, 23 de Agosto de 2009

34º Capítulo - Odeio-te a Ti

Heyy,

OMG a Love and Death deixou-me sem palavras. Preferida, até agora ;)

Capítulo enormeeee, porque vocês merecem!

 

LY all,

Marii K.

Trinta e Quatro
Coragem
 
 
 
Será que temos de escolher? Amor, Vida, Liberdade, Amizade, Felicidade, Coragem, Perdão. Será que não podemos ter tudo? Queremos viver para amar os amigos e os amados com liberdade. Queremos ter coragem para pedir perdão a quem amamos. Queremos alcançar a felicidade.
A cada momento, Tom apercebia-se que o mundo não era um lugar feliz. Nunca fora. Será que nunca tinha reparado no inferno? É nele que vivemos.
Em cada mente podemos ver as pessoas a imaginar o inferno. Toda a gente conhece algum tipo de dor. Mas quem consegue imaginar o paraíso? Algo que seja agradável e perfeito a todos? Ninguém o forma… não existe nenhuma ideia formada.
E tendo em conta que imaginamos algo, sempre a imitar algum de milésimo de vida que possuímos… nós vivemos no inferno. Tudo parecia dor aos seus olhos. A felicidade são momentos. A felicidade não é nada mais que um estado de espírito. Tens de a tornar tua, tens de a tentar carregar em cada palavra para poder ter os melhores momentos e combater a dor. E era isso que Tom tinha de fazer.
 
Olhou o seu rosto carregado de teimosia, enquanto dormia. E só queria por mais uma vez, vê-lo descansado. Levemente, tocou com a ponta dos dedos no cabelo, e depois desceu até ao pescoço. Passou-os pela linha de cansaço por baixo dos olhos e quando se apercebeu que Megan se encontrava completamente embalada num sono profundo, deitou-se ao seu lado.
Agarrou a sua cintura com uma mão e beijou-lhe o ombro. E assim adormeceu também; mas antes, pediu a tudo o que fosse sagrado, para que Megan estivesse acordada, e que o tivesse sentido e o tivesse deixado entrar no seu perímetro. Pediu por tudo, que ela tivesse baixo um pouco da guarda.
Mas quando a luz entrou no quarto, quando os seus olhos se abriram, ela já não se encontrava ali. Não sentia a sua pele, nem o seu cheiro que se intensificava cada vez mais. Porque razão não tinha coragem para nada, para falar para pedir mais perdão… mas nem sabia se ela o ouviria.
- Estúpido, cobarde Tom! – Gritou para si próprio. Deixou-se descair na cama e olhou o tecto, com as mãos na cabeça. Desesperado era a palavra que o definia completamente. E ainda não tinha sequer pensado como aguentara todo aquele tempo ali fechado num quarto, sem falar, sem cruzar o seu olhar com o dela.
Um barulho de invólucro interrompeu o silêncio dos seus pensamentos e ele ergueu a cabeça para ver Megan sentada na cadeira, com o olhar posto nele, e a mastigar lentamente, sem emitir qualquer ruído. Estava com o cabelo molhado, e uma t-shirt grande que lhe cobria todo o corpo, visto ela estar completamente encolhida com os joelhos junto à face.
- Bom dia… - murmurou ele, com a face quente.
Ela não respondeu. Deu mais uma dentada e desviou depois o olhar para a porta.
- Tomei banho na casa de banho pública que encontrei na recepção, também tem uma espécie de balneários…
- A t-shirt? – Perguntou ele, enquanto vestia as calças e a t-shirt. Já nem se dava ao trabalho de colocar qualquer adereço no cabelo.
- Tirei da lavandaria. – Encolheu os ombros com indiferença e levantou-se para ir esticar melhor as suas roupas que ele agora reparava que estavam penduradas na janela.
- Volto já. – Ainda disse, apesar de saber que provavelmente lhe era indiferente.
 
Talvez tivesse sido o banho que lhe tinha arejado as ideias. Ou então o tempo que passou sentado nos bancos, com uma tolha que lá estava enquanto esperava que a roupa secasse. Esperava pela roupa que secasse, esperava por compreensão, esperava por perdão, esperava pelo irmão. A conclusão que chegou: Tinha de acabar com algumas daquelas esperas. Finalizou com a coragem, de tentar resolver algo.
Quase correu o corredor, com duas maçãs que tinha também retirado de uma taça da recepção. Ainda iriam ser acusados de roubo, por cima de tudo…mas isso era secundário.
Abriu a porta rapidamente e atirou a maça para o colo de Megan, que se assustou com a sua repentina presença. Estava ainda com a t-shirt, ele presumiu que talvez fosse mais confortável. Ela olhou para ele, sem expressão e volveu de novo para a televisão. Tom carregou no botão para a desligar e viu o rosto de Megan imperturbável, enquanto analisava a maçã.
- Podemos falar?
Não respondeu de novo. Ele aproximou-se dela e arrancou-lhe a maçã das mãos.
- Podemos falar? – Perguntou mais alto, desta vez.
Não o olhou, não falou, não moveu um músculo da face. Não nada. Apenas se moveu com as pernas, para fora da cama e alcançou a maçaneta da porta, mas antes mesmo de a rodar, Tom agarrou-lhe na mão bruscamente a encostou-a ao seu peito.
Megan conseguia sentir o coração de Tom bater aceleradamente, e sabia que ele não tinha colocado ali a sua mão por acaso. Desencostou-se dele cuidadosamente, mas ele não cedeu.
- Eu vou falar, vou explicar-te, quer queiras quer não.
Só lhe conseguia olhar os lábios, e não sabia porquê. Conseguiu então descolar-se dele e encostar-se à parede. Estaria assustada?
- Fiz aquilo para te proteger.
- Ah! – Ela argumentou, irónica, como se aquilo tivesse explicado tudo. Sabia perfeitamente como o estava a atingir. Mas ele continuou.
- Fiz aquilo para te proteger, porque pensei que conseguíssemos fugir antes, porque pensei que não quisesses contar nunca ao Bill, como me tinhas prometido naquele dia – viu então ali uma ponta de esperança, viu o olhos dela pregar-se finalmente nos seus, mas sem nenhuma palavra – A Madeleine não tinha de saber, porque assim, iria contar tudo como agora provavelmente o fez. E se nós tivéssemos fugido como eu queria, como eu planeava, ninguém ia saber…
- A Ginger – começou ela.
- A Ginger que vá para a merda. Eu estava a falar a sério quando disse aquilo Megan… eu era capaz de matar alguém de novo para te proteger. Tu não percebes pois não?
Não respondeu de novo. Mudou o peso do corpo para a outra perna e olhou o chão ladrilhado.
- Tu não entendes uma palavra do que estou aqui a dizer pois não?
- Entendo – praticamente sussurrou, e colocou a mão na cabeça, como se estivesse já fatigada daquela conversa.
- Também fui egoísta –
- Agora entendo melhor – disse rápida e provocante. Agarrou de novo na maçã e fingiu concentrar-se nos veios dela. Ele suspirou.
- Fui egoísta porque fiz tudo isto por não aguentar mais. E deixei-a aqui enquanto tu falavas porque sabia que mais tarde irias entender que tinhas de contar tanto a ela como contaste ao Bill… Porque é o que está correcto Megan, e tu tinhas razão em querer contar ao Bill.
Parou a olhá-la, enquanto ela trincava a maçã com indiferença. Aí irritou-se, o que estava ali a fazer? A rebaixar-se quando ela não queria saber?
Aproximou-se dela e atirou-lhe a maçã para o chão.
- Estou a falar contigo! Tu não te importas?! Tu estás bem assim?! – Com os olhos vermelhos de raiva, não tinha vontade para fazer mais nada senão gritar para chamá-la à realidade. – Tu gostas sequer de mim?! É que já nem nisso acredito Megan, é incrível, incrível o que fazes para me afastar!
- O que eu faço para te afastar?! – Finalmente gritou ela também, pelo menos aliviava alguma pressão de Tom estar a falar sozinho. – Tu fazes as tuas próprias merdinhas para que eu me afaste! Quem se devia perguntar se alguma vez me amaste sou eu! Podia até perguntar, se isto é um joguinho engraçado, com uma miúda sem mãe!
Tom deu uma volta ao quarto e com força, pontapeou a cadeira contra a parede, com os olhos raivosos.
- Tens noção do que estás a dizer?! Tens a mínima das noções?! Se a tua mãe morreu quase nem foi por acidente!
- Ah! Não foi por acidente!? Matei então a minha mãe porque me apeteceu?!
- Sei lá, já não sei nada! Só sei que estou farto de andar aqui a bajular perdão!
- Pois ninguém pediu que o fizesses Tom – Ela rematou, mais serena, mas visivelmente magoada.
A porta emitiu um gemido, quando o corpo magro de Bill apareceu na entrada, com um saco preto desportivo na mão.
Ambos se calaram.

 

 


publicado por Marii R. às 20:19

link do post | Comenta e o Tom levanta a camisola | favorita-me
|

abdominais:
De Joanne a 23 de Agosto de 2009 às 20:45
Capítulo grande, mesmo como eu gosto :D
Adoro completamente essas descrições que fazes dos sentimentos do Tom... fico sem palavras, faz tudo tanto sentido...
Estou cada vez mais desesperada por este desfecho, mas tenho medo xD
Mais *---*
Beijinho


De Melancia a 23 de Agosto de 2009 às 20:49
Olaaaa! Tas a gozar? Eu e a Anica tb estamos viciadas com a Love and Death, é tb a nossa preferida :D

AMEI, AMEI! AMEI este capitulo! Esta lindoooo! O capitulo é grande mas é super esclarecedor. A atitude do Tom é mais que compreensiva, tudo o que estava a sentir foi dito naquela discussao. Ambos explodiram, libertaram a raiva toda. E penso que o Tom tem muita razao naquilo que diz, afinal ela esta a evitar o que realmente se está a pssar, é obvio que se sente traida, confusa; mas o estado de impotência do Tom já me estava a incomodar, causava uma certa impressão. Coitado, tudo o que fazia parecia avaliado com a pior das intençoes quando fora o contrario. Penso que os paragrafos iniciais estao super bem estruturados. Esclarecem exactamente aquilo pelo que Tom está a passar, as comparacoes que tu fizeste em relacao ao inferno encaixam na perfeicao, têm tudo a ver com a personagem dele, e de certo modo com a fic! AMEI! Estou mesmo em choque, porque este capitulo é daqueles que necessitam de participar na historia, ou ent a mesma n faz sentido algum! Obrigada por teres postado Marii :)

kuss


De Ritiik a 23 de Agosto de 2009 às 20:52
Hey!
Opah T_T
Eu não acredito nisto !
Oh Mariana, és tão péssima! O que tu fazes as personagens - e nós - sofrer!
Bolas ! Ö
Opaah isto é taao sentimental T__T
O Bill apareceu pra... fugir? oO
Eu estou meia perplexa com isto tudo, ainda nao.. estou em mim, eu quero mais!! Opaah T_T
Not fair, anda tudo pra me fazer bater mal, hoje, so pode :|
Beijinho*


De Helena Manson a 23 de Agosto de 2009 às 20:56
Capítulo grande, iupii *-*
Oh, coitado do Tom. Ele já pediu desculpa, a Meg está a ser má para ele ;_;
O Bill chegou, lálálá. Posta mais, omfg. Estou ansiosa por ver o fim desta fic :DD
Beijinhos <3


De Helena Manson a 23 de Agosto de 2009 às 20:56
Mais, mais, mais *________________________*


De a 23 de Agosto de 2009 às 21:56
Hey :)
A Love and Death também é a minha preferida até agora *-----*
Ela está a ser tão injusta com o Tom, dá para ver mesmo que ele a ama, e ela nada -.- Gostei da atitude do Tom, pode ser que lhe acorde para a realidade.

Isto é que é um capitulo enormeeeeee =DD
Quero mais :DD
Beijinhoos


De ztilauk a 23 de Agosto de 2009 às 23:48
eu estive de ferias e nao pude comentar ( nao que alguem tenha dado pela minha falta) mas como quero mesmo que postes todos os dias pq amo esta fic vou comentar cada capitulo.

25º - quero a fic nova *_* O Bill apaixonou.se mas tinha a sensaçao de que algo nao ia correr bem. eu sabia que os acidentes estavam ligados!

26ª - a primeira parte esta tao comica! Coitadito do Tommy, como eu me ri com o que a megam dizia...
o Bill faz muito bem em ir falar com a Maddy!

27º - este capitulo esta tao lindo e tao bem escrito. o amor do Tom e da Megan é tao forte!

28º - este tambem esta perfeto nems nem sei o que hei-de dizer! se o Tom se vai embora devia levar o Bill com ele. A ginger tambem sabe do acidente?

29º - a ginger que nem se atreva a contar a policia e a estragar tudo! Coitadinho do Bill preocupado...

30º - o God, o Bill vai saber a historia toda? fiqui curiosa de como eu ira reagir!

31º - finalmente percebi as razoes de tudo aocntecer! Fiquei parva quando soube que eles consomiam droga!

32º - chorei com este capitulo :(
O Billy é sempre um querido!

33º - eu nao acredito que eles possam ser preos, assim a fic nao teria um final feliz...

34º - conseugues descrever tao bem os sentimentos das personagens!
Que discussao mais intensa que eles tiveram... mas como sempre aparece o Bll para aliviar!

posta mais sim? estou anciosa para saber como tudo vai acabar!


De Tommazinha a 24 de Agosto de 2009 às 00:56
Hallo!!!
A Megan está a ser parva!! Bolas, o Tom já lhe implorou perdão, já fez tudo o que é que quer mais? Ele não o fez por mal.
É que ainda por cima ela questionou os sentimentos dele...que raiva!
Eu só quero que eles façam as pazes.
Eu estou mesmo a sentir a tua fic, não sei se tens noção ( Loool xD)
Escreve maiiis, please. Isto não pode ficar assim, não pode mesmo.

Bjão grande ;)


De Maria a 24 de Agosto de 2009 às 13:06
Hi sweety! x)

Adorei o início do capítulo, descreveste os sentimentos de Tom lindamente...adorei, really!
Gostei e respeito imenso a atitude de Tom...decidiu falar com Megan, apesar de a conversa não ter corrido muito bem!
Só espero sinceramente que Bill traga alguma notícia, de preferência boa! :D

Quero mais, sim querida?
Beijocas muito grandes, dear!
:D


Comentar post

Song.

One Republic - Secrets

Download this Mp3 @ Booster MP3

Anteriormente

Feliz Natal

Psychiatrist Me #2

Psychiatrist Me #1

Assusta-me

Arquivo

Votação

Queres a proxima fic baseada na musica:
Alien
World Behind My Wall
That Day
Phantomrider
Attention
Zoom Into Me
In Your Shadow (I Can Shine)
  
pollcode.com free polls
online