Fics

online
Love is not a feeling... It's strength.
Sexta-feira, 7 de Agosto de 2009

25º Capítulo - Odeio-te a Ti

Hey

Poucos comentários buaah!

u.u tanta gente a gostar do Sobrenatural! Também... quem não gosta de ver aqueles dois?xD

Comecei a escrever a nova fic:

 

Título: Espera por Mim

Personagem principal: Bill Kaulitz
Escrita: na 1ª pessoa, dirigida. Com reflexões no início

Estilo: Romance / Drama

Frase: Descobres a essência. Descobres um anjo. E esperas.

 

Como podem ver... estilo muito Mariana Rebelo xD cheia de dramas, choros e sentimentos. Como eu gosto.

  

 

Não gosto deste capítulo e é grande --'

 

Beijinho,

Marii K.

 

 

Vinte e Cinco
Casa da frente
 
 
- Que olhos Bill! Estás bem? – Perguntou Megan, quando encontrou o melhor amigo sentado no banco encostado à janela.
Ele coçou a cabeça e sorriu debilmente, quando se levantou para beijar Meg no rosto.
- Não me obrigues a repetir tudo, sim?
- O Tom já me contou… - Ela confessou, sentando-se ao seu lado para revolver o cabelo ainda molhado, que reparava ser de uma cor tão igual à de Bill.
- Estás bem com o Tom? – Perguntou repentinamente.
Megan colocou-lhe a mão no ombro e gargalhou a espontaneidade do amigo.
- Isso pergunta-se assim? – Perguntou, enquanto agarrava os joelhos.
- É difícil de responder?
- Não, claro que não. Estamos bem Bill, estamos óptimos.
E sorriu, já preocupada com as perguntas e os olhos negros de Bill. Ele que costumava ser tão aborrecido de manhã, e o que custava arrancar uma palavra daquela boca nas primeiras horas do dia…
- Há alguma coisa que não contaste da noite anterior. – Constatou Megan.
- Porquê?
- Porquê o quê?
- Porque dizes isso? – Perguntou com o olhar perdido nas casas da frente.
- Porque te conheço. Vá, diz lá…
E ele olhou-a finalmente, torcendo o nariz…não sabia o que havia de dizer ou o que perguntar.
- Tenho de ir pedir desculpa à rapariga da casa da frente. – Disparou.
- Quem é a rapariga da casa da frente?
- Mady, Madeleine. Ela ontem veio cá e bem… deve ter ficado traumatizada. Já viste o que é entrares de repente num quarto que parece uma autêntica orgia? Tudo já semi-despido… E ela vê-me logo assim, de tronco nu… Depois antes de se ir embora ainda sorriu mas… coitada…
- Deve ter ficado traumatizada realmente… - Megan esforçava-se por conter o riso.
Bill suspirou e olhou o exterior, com os olhos ainda bastantes negros da noite em branco.
- Achas que vá lá?
- Sim. Óbvio que sim… e só aqui entre nós Billy… Como é que ela é?
- Olhos azuis, mesmo… tipo escuros mas… mesmo brilhantes. E o cabelo preto e depois sorri de uma maneira diferente, até pareces tu quando estás nos teus bons dias… - Admitiu com um sorriso terno.
- Duvido… Mas vai lá. – E bateu-lhe nas costas.
- Megan eu… Eu não vou lá assim!
Ela num gesto retirou o disfarçador de olheiras do bolso e entregou-o ao amigo com um sorriso satisfeito. De facto ela conhecia o amigo…
 
 
- Bill, Bill Kaulitz. Vivo mesmo aqui em frente, Eu precisava de falar com a Madeleine, ela está?
A senhora da casa em frente, abriu a porta finalmente, deixando mais do que o seu nariz de fora, e sorriu amavelmente.
- Bem, não… ela está a ajudar nas mudanças. Apesar de não ficar cá muito tempo. Mas tu já deves ser um amigo antigo, para a tratares por Madeleine…agora todos a tratam por Mady, aqueles amigos muito espavoridos que ela tem…
E a senhora com um gesto caloroso, convidou-o a entrar.
- A minha irmã já não está muito bem… e então vai-se mudar para aqui, coitadinha, desde a morte do filho que isto tende a piorar. Soube, há uns anos? Um casal que morreu de desastre de automóvel? Não havia travões, e ninguém sabe quem foram os malvados!
- Pois…eu soube do caso. – E Bill olhou para trás, vendo a carrinha das mudanças aproximar-se.
- Olhe, aí vêm eles. A Madeleine também deve vir, mudou-se agora com a avó, minha irmã. Finalmente ultrapassou a morte do pai. Sabe-se lá o que lhe aconteceu noutros sítios para ter voltado. Sinto muito a falta do meu sobrinho. – E parou olhando o rapaz com o calor de uma velha senhora – Mas que quer o menino ouvir aqui uma velha a falar?
- Não, não… não se preocupe – Sorriu Bill – Tem uma história de família bem complicada… o que eu não sei é se acompanho.
- Ora! Conhece a minha Madeleine, não é verdade?
- Sim…
- Eu sou tia-avó dela. A minha irmã que vivia uns bairros aqui à frente é avó dela, e foi o filho dela que morreu no desastre. A minha irmã ficou sem um filho, a Madeleine sem pai e eu sem sobrinho. E outra família foi destroçada, mas desconheço… Fico muito feliz de a minha irmã vir viver comigo, ela não ficava lá bem sozinha, depois de tudo, tão abalada…
- Pois. Compreendo.
E viu Madeleine aproximar-se, com uma t-shirt tingida de padrões pretos e vermelhos, já velha.
- Então tia, já contou a história da vida ao vizinho da frente? – Gargalhou, sem olhar Bill, apesar de este a fixar com uma atenção exagerada.
- Oh! Eu bem que o conhecia de vista, com esse cabelo tão espetado e o seu irmão com umas…coisas esquisitas. – Fez um olhar confuso e virou costas, para abrir completamente a porta e deixar os pertences da irmã chegarem.
- Olá – Sorriu Bill, timidamente.
- Oh, olá.
E apertou-lhe a mão, sorridente.
- Que fazes por aqui? Querias mesmo ouvir as histórias da minha tia? – E agarrou num caixote grande com letras garrafais “SÉRIES”.
- Não, eu queria… falar contigo?
Bill juntava as mãos e de repente lembrou-se de lhe pegar no caixote com tanta força que assustou a rapariga, com a brusquidão. Um sorriso débil ainda o iluminava, sentindo-se pateticamente um idiota, entrou aos tropeções dentro de casa e pousou o caixote na sala.
Ela seguiu-o e esperou que ele se voltasse para admirar o que seria o rapaz mas estranho que já tinha conhecido.
- Bem… Bill? – Começou.
- Bill, Kaulitz. – Confirmou ele, rapidamente.
- Hoje é apertado, podemos falar amanhã ou assim? É importante?
- Não bem… nada de mais. Eu… posso voltar mais tarde? Quando a carrinha se for embora? Eu vou ficar por casa… mesmo aqui em frente – E apontou para a sua casa, sempre com um olhar ansioso.
- Claro…
E ela sorriu, daquela maneira desconhecida a Bill, e passou de novo pela porta.
- Então… eu tenho de arrumar isto tudo, espero que não penses que te estou a despachar...– E permaneceu com o mesmo sorriso, quando se baixou para pegar num novo caixote com o mesmo nome.
E Bill que continuava especado, enfiou as mãos nos bolsos e grunhiu uma palavra inaudível a Madeleine, antes de se apressar a entrar dentro de casa, mais vermelho do que se podia alguma vez imaginar.
 
 
 
 
 
 

 


publicado por Marii R. às 19:40

link do post | Comenta e o Tom levanta a camisola | favorita-me
|

abdominais:
De Melancia a 7 de Agosto de 2009 às 20:43
Olaaa! Oh n sei pq dizes q n gostaste do capitulo, eu sinceramente amei. Sim, admito que está bem mais simples que os outros, mas foi isso que mais apreciei. A personagem do Bill é bem mais genuína do que aquilo que parece, e a Maddy é uma rapariga que mostra ser simpatica e reservada. Gostei o modo como estruturaste o capitulo. é caracteristico da fic lol...é super espontaneo, simples e único claro. Penso que o facto de abordares novas ideias na fic, atraves da Maddy, revela que ela bem mais complexa. E estou ansiosa por conhecer o avanço desta relação recente. AMEI!

kuss


De a 7 de Agosto de 2009 às 23:02
Hey :)
Realmente, quem não gosta daqueles dois? *ar de tarada* xD
Já estou curiosa para ler a nova fic :p

O Bill fica amoroso todo envergonhado :P

Eu gosto muito do estilo da Mariana Rebelo :D

Quero mais :D
Beijinhos


De Helena Manson a 7 de Agosto de 2009 às 23:17
Omg, o Bill está completamente apanhado.
Madeleine, lálálá :O

Mais, sim? *_____________*


De Maria a 7 de Agosto de 2009 às 23:47
Hallo sweety! ^^
Óhh este capítulo está mesmo cute...o Bill todo atrapalhado perto de Madeleine...gosta dela! :D
Ela parece ser mesmo muito querida e uma rapariga simples! Perfeita para o Bill!

Quero mais, sim querida?
Beijocas muito grandes, dear!
:D


De Thaís a 8 de Agosto de 2009 às 17:03
Ainn, desculpa não ter comentado ( de novo), minhas semanas estão sendo apertadas e resultado: pouco tempo na net :(

Está mesmo boa esta fic. Já imagino o que a manina pensou de Bill quando viu ele naquele estado, ha ha ha
Ohhhh! será que foi o pai dela que Megan e Tom mataram? eu acho que sim *desconfiei
Eu gostei desse cap. ( gosto de grandes também).
Posta, posta


De Tommazinha a 8 de Agosto de 2009 às 20:16
Amor na costa xD
Bill e Mady, hummm... parece-me bem!
Estou para ver o que vai sair daqui.
Quero +++++++++++++

Ah! Fiquei curiosa com a nova fic ;)

Bjão grande


De Anne a 9 de Agosto de 2009 às 04:08
Estou adorando a Fic ...
parece que o Bill está começando a gostar dela..
posta mais ok?


De tokiohotelfics_<3 a 20 de Julho de 2010 às 16:10
É o que eu digo .. !! :DD

Todo envergonhado .. não sei pk mas axo isso muito estranho !! ^^

Ai .. axo que a outra familia que ficou destroçada que a tia-avó da Madeleine desconhece .. é da Megan !! :SS

Será ?? O.o

Bjs
Próximo !! :DD


Comentar post

Song.

One Republic - Secrets

Download this Mp3 @ Booster MP3

Anteriormente

Feliz Natal

Psychiatrist Me #2

Psychiatrist Me #1

Assusta-me

Arquivo

Votação

Queres a proxima fic baseada na musica:
Alien
World Behind My Wall
That Day
Phantomrider
Attention
Zoom Into Me
In Your Shadow (I Can Shine)
  
pollcode.com free polls
online