Fics

online
Love is not a feeling... It's strength.
Domingo, 17 de Maio de 2009

10º Capítulo - Aliados de Sangue

Hey liebes!

Hoje estou numa de inspiração, estou a escrever o capítulo 12 já.

 

Ontem tive um casamento, que pensava que ia ser super secante mas foi mesmo giro :) o "tema" era o Elvis e a Marylin Monroe, eu sempre tive uma pancada por ela. Depois quando estavamos a dançar começaram a dar cabeleiras e eu fiquei com uma da Marylin a noite inteira xD (e fiquei com ela ^^)

Quando tiver fotos mostro a minha triste figura.

 

Derreto-me cada vez que vejo o Bill levantar a sobrancelha ^.^

Acho que ele está fofo.

 

Beijinho, obrigada and hope you like it ;D

 

Marii K.

 

 

10º Capítulo
 
 
            O barulho da porta do armazém a ranger acordou-o. O seu tronco elevou-se completamente, e olhou em volta, não via ninguém. Os seus tristes instintos de sobrevivência, fizeram-no logo pôr-se de pé. Não sabia muito bem se o frio que sentia, era do medo ou realmente da temperatura que se fazia sentir.
            A porta rangeu de novo, e uma figura jovem de cabelo apanhado entrou no armazém, com as mãos pesadas de sacos de serapilheira.
            - Bom dia. – Ela saudou ociosamente.
            No momento em que o coração de Tom deveria ter parado de bater, visto que estava despromovido de perigo, ele correspondeu mal. Um aperto foi o que ele sentiu, de alto abaixo, o coração palpitava com aquela doce voz que tinha ouvido. Algo tão insignificante, algo tão glorioso.
            - O que trazes aí? – Aproximou-se ele.
            - Hum…várias coisas.
            Pousou os sacos no chão e deixou que o braço de Tom lhe envolvesse a cintura. Encostou a cabeça ao seu peito e ele deixou a sua outra mão percorrer o cabelo de Rose, soltou-o.
            - Usa-o solto á minha frente, por favor.
            - Porquê? – Ela sorriu.
            - Gosto do teu cabelo, é incrível como ainda brilha aqui. Parece chocolate, mesmo.
            Aquelas afirmações levaram as memórias de Rose viajar por todos os seus poros, tentou pará-las, porque raio não conseguia? Via de novo a face do pai, as rugas de cada expressão, o seu velho sorriso. A sua antiga liberdade.
             Ajoelhou-se no chão e começou a abrir os dois sacos, ignorando o facto de estar a ser observada enquanto as lágrimas teimavam em cair. Talvez ele não reparasse.
            - Tens fome? – Perguntou ela.
            - Sim, mesmo.
            Largou então saco que estava a mexer e abriu o outro, onde abundava comida enlatada.
            - Come tudo o que quiseres. – Disse ela sorrindo.
            Tom deixou-se cair de novo no saco cama e acabou com várias latas, comendo com gosto e avidez.
            - Já vi que não te estavam mesmo a alimentar bem…
            - O normal na guerra…o que tu estás a fazer é que não é, até deves ter mais fome que eu.
            - Não, estou bem. – Ela pestanejou confusa, tirando algo embrulhado em papel branco e entendendo-o às mãos de Tom. – Toma.
            - O que é?
            - O uniforme, sei que faz parte do inimigo para ti… mas é para poderes sair daqui de vez em quando e ires lá fora as latrinas e tudo isso…
            - Tudo bem. – Disse ele, pondo o uniforme de lado e caindo de novo no saco cama.
            - Trouxe mais cobertores, mais quentes, tiveste frio esta noite de certeza.
            - Não, estava bastante bem. – Sorriu e agarrou a mão de Rose, puxando-a para baixo, mas parou à altura de ver a porta do armazém entreaberta. – Não é melhor fechares aquilo, ou ires embora, ou algo assim?
            - Foram explorar o território.
            - E tu?
            - Eu fiquei a vigiar o refém. – Sorriu ela, deixando também o corpo descair ao lado de Tom, olhando o tecto fragmentado do armazém.
            Seguiu-se um momento de silêncio. Era a primeira vez que algo assim acontecia entre ambos. Para todos os efeitos, estavam finalmente juntos, nenhum deles entendia porquê mas sabia que tinha de ser assim.
            A voz tremida de riso de Tom quebrou o silêncio.
            - Se eu soubesse que a guerra era assim…bem que gostava que tivesse acontecido mais cedo.
            Rose não respondeu, não riu. Engoliu em seco e deixou de fitar o tecto escuro para olhar Tom, pormenorizadamente. Os seus lábios, o nariz com a curva perfeita, os olhos que brilhavam em todo aquele magro rosto.
            - Deixaste quem para trás? - Perguntou ela.
            - Como assim? – Perguntou ele, sem tirar os olhos do tecto, mas passeando a mão pela de Rose.
            - Família, namorada?
            - Ambos. – Disse prontamente, sem a olhar.
 
 
 
 
P.S.: Amanhã posto de certezinha @ 
 
 
 

 

I'm: Writing
Song: All in all - Lifehouse

publicado por Marii R. às 19:10

link do post | Comenta e o Tom levanta a camisola | favorita-me
|

abdominais:
De ourfanfiction a 17 de Maio de 2009 às 19:56
Hey Marii =)

olha que eu quero ver as fotografias, por isso mostra quando puderes..hihihi
Bem este capitulo foi...revelador! A relação deles "cresceu" num sentido, mas agora com esta ultima afirmação de Tom tenho medo que aconteça algo que estrague os bons momentos que tem tido!
Adoro quando mostras os gestos que Rose tem com ele...são tão queridos! E ele fica tão feliz ( e eu também...lol)
Ela ficou de vigiar o refém..lool Adorei essa parte! E quando ela trouxe os sacos cheios de comida foi visível imaginar o sorriso na cara de Tom..acho que nessas parte tu escreves TAO BEM que conseguimos sentir e visualizar as personagens!
Quero mais sim, Marii?!

Love you lots!

Anica


De Melancia a 17 de Maio de 2009 às 19:57
Ai queroooo mais! Amei este capitulo! É daqueles capitulos caracteristicos de pura simplicidade mas que sao essenciais no decorrer da historia! Ambos sentem-se ansiosos no que diz respeito a esta amorosa embora, muito recente relacao! Conseguiste evidenciar isso de uma forma linda! Até o modo como se comunicam é inocente! Continua sim1?

kuss


De nesa a 17 de Maio de 2009 às 20:20
Olá ^^

Desculpa não andar a comentar o teu blog =X Desculpa mesmo...

Mas já me actualizei!

Está linda a fic *.*
Escreves tão bem mesmo!

Eles são queridos juntos!
E claro que ela tinha de ficar com o refem xD

Quero mais,sim?

Beijinhos


De Caroll a 17 de Maio de 2009 às 20:47
Amor ^^

Oh Gott Oo

O Tom tinha namorada? =O

OMG!
E agora vao cmeçar os ciumes, e o receio, e eu nao queroooooooooooooooooooo T_T

Ai acerio paixao, se tu me poes este fim triste, levas tau-tau *hunf*

Portanto, coiso xD

AMO-TE MUITO MUITO <33333333


De Joanne a 17 de Maio de 2009 às 20:50
Coitadinho do Tom, estava cheio de fominha. xD
Afinal o Tom deixou uma namorada? Nao tinha reparado nisso.
Posta mais sim? ^^
Beijinho


De Tommazinha a 17 de Maio de 2009 às 22:28
Aiiiiiiiiiiii *.*
Eu amo tanto os momentos da Rose e do Tom, sao tao fortes e profundos...
Fiquei curiosa cm a ultima parte do capitulo!!! Afinal o Tom tinha namorada antes? O q e q ele deixou para tras?
O Tom come pouco come LOOOL xD amei essa parte
Tou ansiosa pelo novo capitulo, agora fiquei confusa cm aquilo da namorada...
quero +++++++

Küss


De a 18 de Maio de 2009 às 12:21
Oláá!

O casamento deve ter sido giro ^^
O Bill está lindo assim *__*
:P

Esta fic é perfeita :D

Quero mais ^^
Beijinhos


Comentar post

Song.

One Republic - Secrets

Download this Mp3 @ Booster MP3

Anteriormente

Feliz Natal

Psychiatrist Me #2

Psychiatrist Me #1

Assusta-me

Arquivo

Votação

Queres a proxima fic baseada na musica:
Alien
World Behind My Wall
That Day
Phantomrider
Attention
Zoom Into Me
In Your Shadow (I Can Shine)
  
pollcode.com free polls
online