Fics

online
Love is not a feeling... It's strength.
Segunda-feira, 16 de Março de 2009

17º Capítulo - Talvez no Futuro

Hey=)

Oh, os comentários desceram...

Anyway... hoje faz 1 ano que vi o Tom pela primeira vez. Parece que tive tudo dentro de mim a remoer o dia inteiro. Enfim... este foi um texto que postei no Fotolog há algum tempo, para o Tom, portanto coiso, aqui está:

 

 

Deito-me mais uma vez, anseio em voltar a ver-te.
Nos sonhos tudo se realiza, nos sonhos tudo está tão perto.
No entanto, o toque que parece milagroso, o carinho que parece incondicional, o interesse que me encanta, esses olhos fixos em mim. Eu sinto-me a única no mundo. E não é que sou mesmo?
Sou a única para ti, nos meus sonhos mais profundos.

Acordo e olho o teu sorriso, estás em todo o lado.
Como custa voltar à realidade e não saber onde te encontras, não saber o que te vai na alma. Custa-me saber que nem sabes que existo.
Mas o alento cresce com a paixão, e eu sei que um dia vais ver o meu rosto, e os nossos olhares se vão cruzar.
Posso garantir que o meu olhar irá transmitir amor, o teu pode até não transmitir reconhecimento. Mas vai significar o mundo para mim.
Um dia será assim.
Um dia será como tem de ser.
Um dia, eu poderei novamente te ver.

O sonho acabou, e eu morri junto dele, em puro silêncio.
Volta Tom Kaulitz.
 
Make me dream again, just like one year ago.
 
Beijinho@
 
 
16º Capitulo
 
 
            A palavra pode ficar presa na tua garganta tantas vezes. Como se estivesse entalada, porque não tentas soltá-la?
            A palavra pode sair-te facilmente. Como se fosse apenas uma pequena gotícula de água na imensidão do mar, é banal. Não te diz nada de novo.
            A palavra pode querer sair com tanta força, que não chega. Por muito que a repitas, por muito que ela seja sentida. Nunca é demais, pois é pura.
            Quantas vezes consegues dizer obrigado?
 
 
***
 
 
            Uma lágrima escorreu-lhe do canto do olho, acariciando-lhe o rosto. Não as conseguia conter. Tantas vezes tinha sonhado tê-la de novo nos braços. Agora que a podia olhar vezes sem conta, numa expressão serena de sono, não acreditava.
            - Ela não dormiu na viagem. – Disse Tom, quase murmurando.
            - A viagem foi má? Havia muita turbulência?
            - Não. Não queria dormir, veio o caminho inteiro a falar comigo. Ela não se cansa pois não? – Abafou o riso.
            Meredith olhou o peito suspirante de Millie e sorriu. Olhou depois Tom, e desejou poder alcança-lo de novo, poder agradecer quantas vezes conseguia. Mas precisava de falar-lhe com mais atenção.
            - Ela sempre teve muita energia.
            Ouviu alguns murmúrios entre os gémeos, durante a viagem, mas não entendeu o que diziam. Abstraiu-se e limitou-se a brincar com os caracóis negros de Millie.
            Bill saiu do carro um bairro antes do de sua casa, e Tom tomou o seu lugar no volante.
            - Onde vai ele?
            - Foi tratar de umas coisas. Porquê? Achas que não ficas bem comigo? – Fez beicinho pelo espelho retrovisor e Meredith riu.
            - Ficamos óptimas contigo.
            - Acho bem.
 
            Quando entraram pela porta, Meredith passou e deitou Millie no sofá, ainda adormecida. Sentou-se ao seu lado e colocou-lhe uma manta por cima. Tom foi buscar as restantes malas ao carro e dirigiu-se despreocupadamente ao seu quarto, a fim de pousar as malas.
            Ao fazê-lo, olhou reflexamente para o local do caixote castanho, de papelão. Não estava lá. Uma caixa negra estava no seu lugar, entreaberta. A medo, aproximou-se dela e puxou-a. Sentou-se na cama e aí conseguiu-se aperceber da obra de Meredith.
            Passou os olhos por todo o quarto. Estava diferente, tinha pelo menos, um ar habitável. O ambiente transparente do quarto, estava agora pregado de fotos sorridentes dele e de Bill, de Rachel. Olhou mais à frente e encontrou uma foto de Meredith com Millie, e outra apenas de Meredith. Suspirou e colocou a caixa no chão, procurou nas gavetas e verificou a presença de todos os seus pertences. Abriu depois o armário, e olhou o cabide solitário, que pendia as roupas de Rachel, e uma outra camisola grená, que ele não reconhecia.
            Pegou nela e encostou-a ao seu nariz. Inspirou o perfume fresco e apercebeu-se do cheiro de Mer. Quando finalmente olhou para a porta, verificou a presença de Meredith.
            - Estavas aí há muito tempo? – Perguntou com a voz rouca.
            - Algum.
            Aproximou-se mais dele e agarrou na camisola. Colocou-a de novo no cabide e fechou o armário. Finalmente olhou os olhos de âmbar que a fixavam.
            - Fiz mal? – Murmurou, juntando as mãos nervosamente.
            Tom virou costas, dirigiu-se à janela e parou durante um minuto inteiro, quieto. Voltou-se para ela, sem a olhar e pegou no urso de peluche e colocou-o junto ao cão de peluche castanho de Rachel.
            - De quem é? – Disse, encostando os peluches à parede, hesitante. Acabou por agarrar no urso.
            - É da Millie. Ela deixou-o comigo, porque disse que ele ia ter medo das viagens, que ia ter medo das pessoas.
            - Hum… E então?
            - Então agora está contigo. – Ajoelhou-se na frente de Tom e agarrou-lhe as mãos. – Vocês parecem ter algo em comum.
            - E a Millie? Não o vai querer de volta?
            - Ela gostou muito de ti, de certeza que não se vai importar. – Sorriu carinhosamente e desenhou círculos com o polegar na mão de Tom.
            Os minutos seguintes foram de silêncio novamente.
            - Tom? – Perguntou nervosa.
            - Hum.
            - Fiz mal?
            Ele suspirou, deixou o peluche de lado e apertou as mãos de Meredith.
            - O que seria de mim sem ti? – Perguntou, olhando os olhos negros da rapariga.
            - Serias tu.
            - Eu não seria nada. – Corrigiu, abraçando Meredith. - Obrigado.
 

 

I'm: I need him again ='(
Song: blog=)

publicado por Marii R. às 22:45

link do post | Comenta e o Tom levanta a camisola | favorita-me
|

abdominais:
De a 16 de Março de 2009 às 23:12
Oláá

Pois é, hoje faz exactamente um ano que eu vi o Tom *__*

O teu texto está tão lindo *__* Meu Deus, tu escreves tão beeeeeem Marii *___*

Amei este capitulo :D
Beijinhos @


De Joanne a 17 de Março de 2009 às 00:01
Tambem faz um ano que eu vi o Tom pela primeira vez :'[ Tenho saudades. O texto que escreveste sobre ele está lindo mesmo :$
Quanto ao capitulo, está LINDO para variar só um bocadinho. Se quiseres ser um bocadinho mais perfeita a escrever tambem podes, ham xD
Kidding, melhor é impossivel [ou nao Oo].

Quero mais ^^
Beijinhoo


De SoniaKAulitz a 17 de Março de 2009 às 11:38
OLA =(
Axo k n es de toda a unica miuda k precisa dele again, ontem todas nós k tivemos no P.A. ha um ano atraz nos lembramos...foram momentos tão bons e tão angustiantes ao mezmo tempo k nem sei dizer bem ao certo se foi um dia feliz ou triste....enfim ja la vai o tempo realmente voa.....
Agora a fic´zinha linda como sempre.....tipo o amor deles parece tão .....hum ate me faltam palavras ....tao inocente, ate me emociono a ler estas coisas....eles foram feitos um po outro ....amo mezmo esta fic.....ta cada vez melhor...e eu tou cada vez mais repetitiva....lool..desculpa mas eu ja n tenho adjectivos pa isto, sempre que leio + um capitulo gosto cada vez mais, e depois tenho de me repetir....küss fika bem miuda....=)


De Caroll a 17 de Março de 2009 às 14:15
AMORR!

Eu até tenho medo de estar a precionar-te um bocado, juro qe nao é nada disso, mas eu nao resisto =$

Já perguntas-te aos teus papás?

Pronto já está =X

Só de pensar qe podem faltar 15 dias, eu OMG, entro em extase.

Ontem à noite tive a contar ao Bill ( peluche ) Qe tu se calhar vinhas cá, enquanto chorava de alegria. e ele disse-me qe qer um beijinho teu xD

Ele é um qeridoo!! Nao há quem me ature mais do que ele, durmo sempre abraçada a ele --'

Ahhhh e se calhar quando vieres já tou ter o Tom, o meu tigre *__*

Pronto coisooo... fic!

Eu abradeço-te a toda a hora, por tudo o que fazes por mim, por cda espacinho no teu coraçao qe me dedicas, agradeço-te por tudo, mesmo =$

Vais estar sempre aqui, bem dentro do meu coraçao =)

Olhaaa e tive 1 ideia xD
Podiamos comprar duas molduras iguais, uma para cada, para pormos uma fto nossa =$

Pronto coiso, tenho qe ir estudar.

Amo-te <3


De ImmortalEcs a 17 de Março de 2009 às 15:15
DESCULPA
DESCULPA
DESCULPA
DESCULPA
DESCULPA
DESCULPA
DESCULPA
DESCULPA
DESCULPA

Por não ter comentado o outro =X


De ImmortalEcs a 17 de Março de 2009 às 15:16
Awwwww
O Tom é TÃO FOFO
*-*

*baba*


De ImmortalEcs a 17 de Março de 2009 às 15:16
Quero mais, sim?
*-*

Beijinhoooos @


De Melancia a 17 de Março de 2009 às 15:56
AMEI!
Quero primeiro dizer q o texto dedicado ao Tom esta LINDO! É caracteristico de uma pureza q so tu conheces e so tu consegues transmitir atraves dessas linda palavras q escolhes usar!

Segundo ameiiii o capitulo, penso q cumplicidade entre Tom e Meredith esta mto bem descrito...penso q conseguiste ser bastante precisa...alias nota se q deste uma especial atencao! Hmmm, o silencio de Tom, ou mesmo, a pureza q ele transmite nessa sua atitud de encarar as coisas realca a dor e sofrimento pela qual ele passou e q ainda esta a pensar, assim como Meredith!
A personagem de Millie é bastante querida, gosto mto a forma como a criaste! Obgd por postares!
(lol...este capitulo n era suposto ser o 17?....n tenho a certeza se te enganaste...)

küss


De Mary17 a 17 de Março de 2009 às 17:20
caracóis negros... muahahaha xD


De Anica a 17 de Março de 2009 às 19:59
maryy...preciso de falrea contigo "pessoalmente" depois dá me o teu mail, se nao te importares!

love u


Comentar post

Song.

One Republic - Secrets

Download this Mp3 @ Booster MP3

Anteriormente

Feliz Natal

Psychiatrist Me #2

Psychiatrist Me #1

Assusta-me

Arquivo

Votação

Queres a proxima fic baseada na musica:
Alien
World Behind My Wall
That Day
Phantomrider
Attention
Zoom Into Me
In Your Shadow (I Can Shine)
  
pollcode.com free polls
online